Maraturismo

Os detalhes da WineRun 2016 no Vale dos Vinhedos

A meia-maratona temática é aquela que todos os participantes não só querem voltar, mas trazer amigos


Maraturismo. Essa é uma das melhores definições já feitas sobre a Caixa WineRun. O termo cunhado pelo jornalista Sérgio Xavier, competidor da meia-maratona realizada no Vale dos Vinhedos no dia 21 de maio, reflete a sensação que os 1.500 participantes têm dessa prova que mistura dois mundos tão fascinantes como o do esporte e do vinho.

Com sua primeira edição em 2012, a WineRun no Vale dos Vinhedos chega à sua quinta temporada como uma das corridas mais atraentes do Brasil, o que faz com que seus participantes, ano após ano, fiquem ansiosos por voltar e trazer amigos – pois, além de correr, todos aproveitam o fim de semana para desfrutar do melhor do turismo na região vitivinícola mais importante do Brasil, berço de alguns dos melhores vinhos do país e terra de tradições gastronômicas deliciosas.

Os eventos pré e pós-prova são tão concorridos quanto o percurso pelo qual os participantes passam durante a prova. O percurso, aliás, coloca a meia-maratona na categoria de um trail run, com mais de 85% percorrida sobre superfície que intercala terra, cascalho e calçamentos com paralelepípedos entre paisagens nativas e vinhedos.

Neste ano, a prova trouxe ainda um outro desafio: frio e neblina, típicos do inverno na Serra Gaúcha. Mesmo assim, as dificuldades do trajeto são enormemente compensadas pelo ambiente e organização – como atestam até mesmo o vencedores da WineRun. “Foi uma prova dura, com muitas subidas. O cenário, porém, é gratificante. O clima de confraternização pré-prova e a festa pós-corrida valem muito. É a única corrida gourmet do país”, afirma Daniela Santarosa, campeã entre as mulheres. “A pista estava úmida, muito lisa, com cascalho solto na maior parte do percurso. Foi uma prova muito difícil, mas o cenário compensa. Foi um trajeto muito bacana”, destacou Ricardo dos Santos, campeão entre os homens.

Para atestar o quanto os atletas estimam a WineRun e colocam-na no seu calendário, basta lembrar que Daniela já havia vencido a prova no ano passado, mas na categoria “dupla mista”. “Agora teve um gosto especial, porque ganhei sozinha”, afirmou. Já Santos, que fez sua estreia na meia-maratona vínica neste ano, garante que quer voltar em 2017: “Quero baixar meu tempo”, revelou.

 “Conhecer o principal destino de enoturismo do Brasil, correndo por suas lindas paisagens, é inesquecível. Ao associar isso à cultura do vinho, faz-se com que as pessoas voltem ano a ano, e cada vez com mais amigos. Este ano, mais de 30 assessorias esportivas inscreveram seus atletas para correr e celebrar”, revelou Christian Burgos, publisher da revista ADEGA. “Oferecemos entretenimento esportivo temático nos melhores destinos vitivinícolas do país para aqueles que têm a corrida como esporte e o vinho como estilo de vida”, pontua Sergio Oprea, diretor da Zenith Sports Marketing, uma das organizadoras do evento.

Assim, a WineRun atrai atletas de todo o Brasil. Neste ano, corredores de 17 estados participaram, a maioria (58%) mulheres. Além de percorrer os 21 km da prova, em meio à natureza, os participantes podem aproveitar o fim de semana para realizar tours guiados por vinícolas, passear de Maria Fumaça e participar de degustações de sucos de uva, vinhos e espumantes, entrando em contato com a cultura e a gastronomia da Serra Gaúcha. Definitivamente, um “maraturismo”.

Por Arnaldo Grizzo

Publicado em 28 de Julho de 2016 às 11:00


Notícias