Revista ADEGA
Busca

17.set - Produtores bretões usam aditivos no vinho

Os produtores da Grã-Bretanha são investigados por diminuírem a qualidade dos fermentados


            Na Grã-Bretanha, produtores de vinho usam água, açúcar e até ácido clorídrico para assegurar que seu vinho tenha consistência e gosto uniformes.

           Foi realizada uma investigação sobre a qualidade das 1,5 bilhões de garrafas consumidas nos países do Reino Unido, Inglaterra e País de Gales. A pesquisa feita por um canal da ilha, também põe em risco a reputação do champanhe, que um expert indica que 70% deles não valem o preço cobrado.

            O enólogo Malcolm Gluck revela: "Muitos vinhos não são melhores que uma espécie de 'cola alcoólica'. O que se leva pra casa são leveduras artificiais, enzimas, açúcar, extratos, taninos e todos os tipos de coisas que são acrescentadas".

            Muitos vinhos baratos têm lascas de carvalho que são adicionadas para dar a impressão que foram envelhecidos em um barril tradicional. Algumas das marcas mais conhecidas usam leite e enzimas para deixar o vinho menos turvo e assegurar o mesmo gosto de um lote para o outro.

            Neste ano, mais de 60 produtores de Beaujolais foram parar no tribunal acusados de disfarçar uvas de baixa qualidade com grandes quantidades de açúcar.

            Na Itália, 70 milhões de litros foram apreendidos, sendo somente 20% vinho, e o restante equivalente a água, açúcar e ingredientes como ácido e fertilizante, utilizados para impulsionar o teor alcoólico para o alcance de um preço mais alto.

            O inquérito revelou traços de fungicidas em marcas líderes de champanhe, e descobriu que especialistas tiveram dificuldade em distinguir entre um espumante de 6,99 euros, e um champanhe do triplo do preço.

            A indústria de vinho britânica tem lutado para se manter isenta da regra de rotulagem dos alimentos e bebidas, que diz ser necessário listar os aditivos. Ela alega que o uso de diferentes ingredientes em quantidades variantes faz com que fique difícil para o produtor chegar a uma etiqueta precisa.

Redação
Publicado em 17/09/2008, às 10h30 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h45


Mais Notícias