Vinho - 12.Fev - Vinho

Países unem forçar para fortalecer a região do Rio Mosel


Os três países que permeiam o rio Mosel estão unindo forças para dar aos vinhos da região uma imagem mais clara e uniforme.

O rio passa por Luxemburgo, França e Alemanha

O projeto, chamado Terroir Moselle, envolve 20 companhias da França, Alemanha e Luxemburgo, além da União Européia, e tem por objetivo destacar elementos comuns aos vinhos do Vale do Mosel, para desta maneira possibilitar a compreensão de o que realmente faz este vinho ser especial.

"Os produtores dos dois lados do rio têm um problema de identidade", diz Phillippe Eschenauer, coordenador de Luxemburgo no projeto. "Enquanto os vinhos Mosel da Alemanha são conhecidos pela uva Riesling, ela também é cultivada na França e em Luxemburgo, assim como as uvas destes dois países também são plantadas no solo alemão".

Para Eschenauer, a fragmentação da área tornou as classificações e descrições dos vinhos muito confusas. "Há mais de 2 mil anos de história vinícola comum. Quando falamos do Mosel, deveríamos estar falando do europeu, e não do francês, alemão ou de Luxembrugo", destacou.

Para ter mais força, o projeto Terroir Moselle tentará contar com a participação de cerca de quatro mil vinícolas da região.

Confira as últimas notícias sobre o mundo dos vinhos...

+ Ibravin e Sebrae firmam convênio de R$ 2,89 milhões
+ Vinhos de marca própria continuam a se destacar nos EUA
+ Coquetel Pisco Sour vira febre no Peru
+ O Melhor Vinho do Dia: A mais uma boa perspectiva para a economia brasileira!

+ Um terço das vinhas da Austrália deveriam ser arrancadas, segundo professor

Da redação

Publicado em 12 de Fevereiro de 2010 às 13:22


Notícias