Novas regras

Papa recomenda vinho natural para a comunhão sagrada

Sacerdotes católicos receberam orientação para adotarem uma versão 'pura e incorrupta' da bebida, evitando usar garrafas compradas em supermercados ou pela internet




Novas regras sobre o vinho e o pão da "santa comunhão" cristã foram emitidas pelo Vaticano e se dão após uma queda vertiginosa na produção das comunidades religiosas responsáveis por assar o pão e produzir os vinhos para as celebrações da Eucaristia em todo o mundo. Na prática, os padres passaram a adquirir os vinhos em supermercados ou até mesmo pela internet.
 
A nova orientação foi enviada em uma carta aos Bispos pela Congregação do Vaticano para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, a pedido do Papa Francisco. Nela, as autoridades do Vaticano lembraram aos sacerdotes que o vinho usado na mais sagrada celebração do sacrifício eucarístico "deve ser natural, do fruto da videira, puro e incorrupto, não misturado com outras substâncias". O vinho deve ser bem conservado e é totalmente proibido que tenha autenticidade ou proveniência duvidosas.
 
A única possibilidade de não utilização do vinho natural é o uso do "mustum", essencialmente suco de uva, que pode ser adquirido apenas quando o sacerdote não puder consumir álcool. A carta também acrescentou que o pão isento de glúten não é apropriado para a Eucaristia, embora possam ser feitas exceções para pacientes com doença celíaca.
Por Maria Bolognese

Publicado em 18 de Agosto de 2017 às 12:00


Notícias