Revista ADEGA
Busca

Para entrar na UE, Croácia terá que abrir mão de seu "Prosek"


O entusiasmo dos croatas quanto à entrada do país na União Europeia durou pouco. Findado o acordo de adesão, uma das regras do bloco econômico diz respeito a um produto do qual a Croácia se orgulha muito: o vinho.

A UE decidiu que, uma vez que o país balcânico se tornar membro efetivo, em 1º de julho, os vinhos "Prosek" não poderão ser comercializados com esse nome, pois, segundo alega a comissão, o nome é muito semelhante ao Prosecco italiano, o que pode gerar confusão e dúvidas.

Os croatas alegam que a exigência é infundada, pois são produtos muito diferentes. Enquanto o Prosek é um vinho doce de sobremesa produzido na região de Dalmatia, o Prosecco é um espumante. Além disso, a designação croata remonta a séculos, enquanto o Prosecco italiana foi nomeado na segunda metade do século XX.

E não é apenas o Prosek que corre o risco de desaparecer. Outro membro da UE, a Eslováquia, reclama que a Croácia não tem o direito de comercializar o Teran, um tinto produzido na ponta norte do Mar Adriático, onde os países fazem fronteira.

Apesar de adesão à EU abrir portas para novos mercados e migração de trabalhadores,  os croatas então começando a perceber que fazer parte do bloco pode não ser tão bom assim. Há 20 anos, quando a Croácia conseguiu independência depois de uma guerra sangrenta, 75% da população era a favor de sua entrada no bloco. Hoje, o número não passa dos 45%.

Mais notícias sobre vinhos...

Mendoza lança Bus Vitivinícola voltado para o enoturismo

Mulheres que bebem vinho têm vida sexual mais ativa

Governo francês coloca adega presidencial a leilão

China já é o quinto mercado mundial de vinho

Mais da metade dos consumidores não entende as notas de degustação, afirma pesquisa

Redação
Publicado em 10/05/2013, às 11h29 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h48


Mais Notícias