Para ser apreciado corretamente, vinho precisa da taça certa e alguns cuidados


Algumas vezes degustamos um vinho que tem tudo para ser uma delícia, mas, no final das contas, não corresponde às nossas expectativas. Talvez, o problema não seja o vinho, mas sim a taça em que o colocamos. Sim, a taça errada pode interferir em nossa percepção de um vinho. Por isso, algumas regras básicas devem ser seguidas na hora de escolhê-la.  
1.      As taças devem ter curvas nos lugares adequados. O fundo deve ser arredondado para ajudar a aerar o vinho e a parte superior deve ser mais fechada, para que os aromas não "fujam". 2.      As taças devem ter haste comprida, para que nossas mãos não toquem o bojo e esquentem o vinho. 3.      O cristal deve ser transparente e liso, pois desta maneira conseguimos apreciar melhor as cores e o brilho do vinho. 4.      Os vinhos mais antigos requerem taças com boca um pouco mais larga, enquanto nos vinhos jovens a largura da boca deve ser menor. 5.      Espumantes e Champagnes devem ser servidos nas chamadas taças flûte, que são mais altas, mais finas, e quase cônicas na parte superior. São adequadas pois permitem que o vinho não perca sua efervescência e que os aromas se assentem.   6.      Apesar de, teoricamente, os vinhos tinto e branco poderem ser degustados numa taça igual, o ideal é que a de vinho tinto seja maior, pios é um vinho de sabor mais forte e que necessita de mais movimento para poder respirar. 7.      Não se deve encher a taça ao servir um vinho, pois ele perde espaço para aerar e liberar seus aromas. Dois ou três dedos é ideal.  

Mais notícias sobre vinhos...

+ Dieta mediterrânea com frutos secos reduz 30% o risco de infarto

+ Coleção "estupenda" de Vega Sicilia vai a leilão

Henri Krug, da Maison Krug, morre aos 76 anos

Vinícola de Sonoma grava vídeo do Gangnam Style

Oeste australiano produz seu primeiro Ice Wine

Da redação

Publicado em 15 de Março de 2013 às 08:39


Notícias