Vinho - 21.Jan - Mercado

Parceria entre importadora e empresa lança o primeiro fundo de investimento em vinhos do Brasil


A importadora Wine Stock e a Cultinvest Asset Management acabam de lançar um produto inédito no Brasil que promete movimentar o mercado de vinhos raros e aguçar os paladares dos wine investors. O novo projeto é chamado de Bordeaux Wine Fund Multimercado, que aplicará 100% em um fundo offshore cuja carteira é composta por vinhos finos de produtores consagrados da região de Bordeaux, na França.

Estes vinhos finos são mundialmente conhecidos como Investment Grade Wines (IGW) e têm apresentado desempenho superior a muitos dos investimentos tradicionais nos últimos cinco anos. Trazem, ainda, alto potencial de valorização futura em função do crescimento da demanda e da oferta restrita. 

Os vinhos que compõem a carteira de investimentos do fundo offshore são ativos negociados na Liv-ex, a bolsa eletrônica especializada em vinhos localizada em Londres, na Inglaterra, e têm como parâmetro comparativo o Liv-ex Fine Wine Investables Index, que conta com uma carteira de vinhos de 24 produtores top de Bordeaux, sendo um dos melhores índices de investimento no setor. Este índice aumentou 48% em 2010, acumulando alta de 36% em euros até novembro. Nos últimos cinco anos, a rentabilidade alcançou 135% em euros.

A carteira do fundo offshore Bordeaux Wine Fund é composta por vinhos já engarrafados e até 20% por vinhos en primeur (ainda não engarrafados). "Os valores são estipulados pela máxima do mercado financeiro: lei da oferta e da procura. Com a produção reduzida, esses vinhos são cada vez mais raros e só ficarão prontos daqui a 15 ou 20 anos, dando a oportunidade de comprar a preços relativamente baixos no início da produção e obtendo lucros ao final do processo", afirma Douglas Andreghetti, diretor da Wine Stock.

A redução das taxas de juros internacionais, necessária para recuperar a economia dos países desenvolvidos após a crise de 2008, tem gerado uma forte procura por investimentos alternativos, entre os quais se destacam os chamados "Passion Investments", que abrangem joias, obras de arte e vinhos finos. Estes últimos, em particular, apresentam vantagens como a redução constante da oferta em decorrência do próprio consumo e a possibilidade de precificação adequada através da bolsa eletrônica Liv-ex.

 "O Bordeaux Wine Fund Multimercado possibilita agora ao investidor brasileiro fazer um aplicação que, além de ser uma excelente alternativa de diversificação de carteira, devido à baixa correlação com os ativos tradicionais de renda fixa e renda variável, também envolve o prazer de entrar no universo dos investimentos em produtos cheios de glamour e sofisticação", comenta Alexandre Zákia, CEO da Cultinvest Asset Management.

Mais notícias sobre o mundo dos vinhos...

Após susto com a crise, norte-americanos aumentam consumo de vinhos acima de 20 dólares
Colega de Robert Parker faz visita à Espanha para provar vinhos catalães

Mesmo afetadas pelas chuvas, vinícolas australianas ajudam vítimas das enchentes

Presidente da Academia de Vinhos Espanhola vira membro de projeto climático

Diretor de companhia de investimento de vinhos é preso por desvio de verbas

Da redação

Publicado em 21 de Janeiro de 2011 às 14:30


Notícias