Vinho - 02.Jun - Polêmica

Preço mínimo de bebidas é condenado por setor vitivinícola britânico


O Instituto Nacional de Saúde (NICE) da Inglaterra vem defendendo a aplicação de uma medida que determine o preço das bebidas destiladas de acordo com a quantidade de álcool que elas contém.

O objetivo seria tentar combater o problema do excesso de bebida. Nos últimos 16 anos, o número de mortes ligadas ao álcool dobrou para mais de 8 mil por ano. O instituto acredita que uma lei que estabelecesse preços e que limitasse o horário de vendas de bebidas alcoólicas ajudaria a deter esse crescente.

A declaração do NICE causou polêmica entre os produtores e consumidores de destilados. A Wine & Spirit Trade Association foi uma das entidades que se manifestou contra a medida.

"A lógica diz que as pessoas que têm um problema iriam a qualquer lugar para obter o álcool", disse Gavin Partington, chefe de comunicação da organização. De acordo com ele, o que seria necessário na Inglaterra é uma medida mais rigorosa, como a educação precoce das pessoas, para que elas compreendam os riscos antes começar a beber.  

Outro líder da indústria que discorda do NICE é o presidente da M&S, Sir Stuart Rose. "A fixação de um preço base para impedir as pessoas de beber vinho é uma loucura! Se você voltar para a os Estados Unidos de 1930, você verá que a medida não funciona", disse Rose, se referindo a uma medida empregada nos EUA que proibia a venda de bebidas. O resultado foi a entrada ilegal de destilados através do tráfico de mafiosos.  

Confira as últimas notícias do mundo dos vinhos...

+ "Gigante" francesa AdVini revela planos para se manter no topo

+ Empresa norte-americana produzirá garrafas de vinho mais leves

+ Quinta de Gomariz é a grande premiada em noite de vinhos em Portugal

+ Nova Zelândia anuncia pacote de apoio à indústria vitivinícola

+ Espanha lança site de vídeos para divulgar setor vitivinícola

+ Mercado argentino de vidros se recupera graças ao crescimento vitivinícola

Da redação

Publicado em 2 de Junho de 2010 às 11:59


Notícias