Revista ADEGA
Busca

31.out - Vinhos da prisão?

Presos de penitenciária de Portugal produzem vinhos


A Revista "Wine Spectator" informou há algum tempo sobre uma prisão de segurança máxima na Toscana, a "Fortezza Medicea", que abria suas portas para jantares periódicos, que incluíam vinhos locais, como parte de um programa de treinamento de trabalho para os prisioneiros.

         Agora, de acordo com um artigo recente da agência "Reuters", existe uma penitenciária portuguesa onde os detidos estão realmente fazendo vinho. A "Pinheiro da Cruz", no sul de Portugal, emprega alguns de seus prisioneiros, que ganham 2,20 euros por dia, para trabalhar nos vinhedos locais.

         Até quem possui penas longas pode trabalhar sem supervisão, "armado" com ferramentas para a viticultura. A produção de vinho na prisão começou nos anos 50 como trabalho manual para os detentos, mas o programa evoluiu para um sistema de recompensa para os mais bem comportados.

         A penitenciária produz aproximadamente 2,800 caixas de vinho tinto e 550 caixas de vinho branco anualmente, o que gera cerca de 100,000 euros de rendimento para o lugar. Além disso, trabalhar na vinícola tem suas regalias: os presidiários podem ocasionalmente provar um copo do vinho que eles mesmos ajudaram a fazer.

Redação
Publicado em 31/10/2008, às 14h49 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h45


Mais Notícias