Revista ADEGA
Busca

Rei do Barbaresco na Sicília

Angelo Gaja decidiu investir em vinhedos ao redor do vulcão Etna


Um dos primeiros nomes quando se fala em Barbaresco certamente é o de Angelo Gaja, o homem que fez questão de tornar os vinhos daquela região piemontesa tão ou mais célebres do que os da vizinha, Barolo. Mas, visionário como é, Gaja foi além, expandiu dentro do Piemonte e produz vinhos em diversas regiões, inclusive Barolo. Não contente, ele decidiu se aventurar também na Toscana a partir de 1994, onde entre outras coisas, produz Brunellos e Supertoscanos.



Mas quem acreditava que Gaja pararia por aí estava enganado. Depois de se consagrar nas duas mais famosas regiões vitivinícolas italianas, agora ele enveredou pela Sicília. Comprou recentemente 21 hectares aos pés do monte Etna em uma joint-venture com Alberto Graci, um produtor local. Os primeiros vinhos devem ser produzidos já na safra 2017 e há intenção de que seja construída uma vinícola e outros vinhedos possam ser incorporados futuramente. 

“Faremos as coisas sem pressa, passo a passo. Vim para o Etna para aprender, e para colher uvas que eu não plantei. Por que o Etna? É algo que tenho sentido latente há algum tempo. Giacomo Tachis foi o primeiro que me falou sobre lá de uma forma sugestiva”, a rmou Gaja. “Não tenho técnicas nem conhecimento para ir ao Etna. Só fui porque conheci Alberto Graci”, resumiu. 

Redação
Publicado em 21/03/2018, às 12h18 - Atualizado às 12h23


Mais Notícias