Restaurador descobre ‘adega de Hitler’

Alemão encontra na Saxônia coleção de champagne Cognac que teria sido saqueada na França pelo exército nazista


Wasserschloss Moritzburg, Dresden, na Saxônia

O restaurador alemão Silvio Stelzer descobriu nos jardins de uma casa de campo abandonada, localizada na cidade Wasserschloss Moritzburg, no estado de Dresden, na Saxônia, garrafas de champanhe Cognac, comidas finas e cigarros que teriam sido levadas de Berlim para o local por ordens de Adolph Hitler, em 1944, diante do risco de bombardeio pelos Aliados, na Segunda Guerra Mundial.

“Foram trazidos para cá centenas de caixas com bebidas, comidas e cigarros”, disse Stelzer. Além de champanhes, havia na casa, que pertenceu ao príncipe Ernst Heinrich da Saxônia, queijos, biscoitos, salsichas, cafés e chocolates.

Os conteúdos e as adegas foram entregues aos historiadores para a pesquisa. Embora descrito como “Adega de Hitler”, é mais provável que o esconderijo servisse aos altos funcionários nazistas e a oficiais da SS que estavam sempre decorados com o melhor dos luxos saqueados da Europa ocupada.

Ainda não foi revelado quantas garrafas de espumante foram descobertas, mas sabe-se que Hitler bebia vinho e cerveja ocasionalmente, porém, detestava fumar.

Da redação

Publicado em 9 de Junho de 2015 às 14:51


Notícias