Revista ADEGA
Busca

Restos mortais de Samuel Taylor Coleridge foram encontrados em uma adega

O corpo do poeta estava "desaparecido" desde 1834, ano de sua morte


Um dos fundadores do romantismo na Inglaterra, o poeta Samuel Taylor Coleridge, morto em 1834, aos 61 anos, ficou “desaparecido” durante anos, até escavações em uma cripta da igreja de St. Michael, que servia de adega, descobrirem seu caixão.

A igreja foi construída em 1831, em Highgate Hill, no norte de Londres, e o caixão de Coleridge ficou lá enterrado. Com o tempo, porém, perdeu-se a localização exata de onde ele foi sepultado. A igreja planeja limpar e restaurar a cripta – que ainda está cheia de escombros da mansão demolida Ashhurst House, que antecedeu a igreja no local – e permitir o acesso de visitantes.

Coleridge, autor de "The Rime of the Ancient Mariner" e "Kubla Khan", sofria de problemas de saúde e depressão. Bebia muito e se tornou viciado em ópio. Portanto, encontrá-lo em uma adega pareceu “bastante apropriado”. “Tem sido dito que isso seria apropriado, mas, na verdade, o local não está em um estado muito adequado para ele, e a família apoiaria os planos para melhorar”, disse Richard Coleridge, tataraneto do poeta.

A igreja está planejando um dia especial para Coleridge em junho com recitais e palestras, com a presença de vários membros de sua família, para arrecadar fundos para o projeto de restauração.

Redação
Publicado em 12/06/2018, às 12h59 - Atualizado às 13h16


Mais Notícias