Revista ADEGA
Busca

Vinho - 11.Out - Vinho verde-e-amarelo

Selo de qualidade de vinícolas brasileiras elevará preços em até 15%


Mais de 60 vinícolas brasileiras estão esperando para receber o selo de indicação geográfica, classificação que permite que a origem de seus vinhos seja rastreada e eleva o controle de qualidade. No entanto, junto com o registro - necessário para exportar para a Europa - as bebidas verde-e-amarelas também terão uma mudança em seu valor: seus rótulos ficarão até 15% mais caros.

O processo começou tarde no Brasil. Argentina e Chile iniciaram esse mesmo movimento para obter indicações geográficas há anos. Segundo especialistas, a qualidade das bebidas nacionais irá aumentar, uma vez que o selo determina uma série de regras a serem seguidas durante o processo de vinificação e seleção de uvas.

Com o selo impresso nos rótulos das garrafas, ainda segundo especialistas, o consumo e desenvolvimento de novas tecnologias para a produção de vinhos serão impulsionados. De acordo com o Ibravin, foram vendidos 242 milhões de litros das bebidas brasileiras só em 2009, ano em que as importações chegaram a 59,1 milhões de litros e as exportações atingiram 1,1 milhão.  

ESPECIAL: De taça e bombacha - Vinícolas novas e nomes consagrados podem ser capazes de mudar a imagem de um ícone sulista

Confira as últimas notícias do mundo dos vinhos...

+ Degustação de vinhos pode ser afetada por iluminação

+ Moët & Chandon lança garrafa exclusiva folheada a ouro

+ Pressionado, Adilson Batista destaca sua paixão pelos vinhos

+ Estudo sobre consumo de vinho e gravidez gera polêmica entre especialistas

+ Vinícola arrecada US$ 30 mil para apoiar luta contra câncer de mama

Redação
Publicado em 11/10/2010, às 08h45 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h47


Mais Notícias