Revista ADEGA
Busca

Som da bolha revela qualidade do espumante

Cientistas acreditam que você pode “ouvir” a diferença entre os espumantes



De acordo com um estudo da Universidade do Texas publicado no Science Daily, o som das borbulhas dos espumantes pode ser usado como medida de qualidade do vinho. Segundo eles, tanto o número como o tamanho das bolhas em um espumante são normalmente indicadores de qualidade. Borbulhas nas e frequentes costumam ser exaltadas enquanto as bolhas grandes e infrequentes são consideradas piores.

“O objetivo do projeto é estudar os sons que as bolhas fazem e ver o que podemos inferir sobre isso. As bolhas são muito ressonantes. Elas basicamente soam como sinos, e a frequência desse som depende, em parte, do tamanho das bolhas. Existe uma noção bem conhecida que a qualidade de um vinho espumante está correlacionada com o tamanho de suas bolhas e estamos investigando se a distribuição do tamanho de uma bolha de um vinho espumante pode ser obtida a partir de medições acústicas simples”, revelou Kyle S. Spratt, autor do estudo com Kevin M. Lee e Preston S. Wilson.

A equipe mediu a acústica de Champagne usando um hidrófono, um instrumento usado para gravar som debaixo d’água. No entanto, quando usado em bebidas carbonatadas, os sons gravados pelo hidrófono cam distorcidos, pois as bolhas se formam no próprio dispositivo. Para impedir que isso acontecesse, os cientistas usaram “um hidrófono muito pequeno”.

Eles também descobriram que a taça impactou nos resultados. “Uma taça de vinho também é um objeto ressonante, de modo que outro desa o para nós era garantir que as características do próprio vidro não estivessem prejudicando nossas medições”, revelou Spratt.

A equipe acredita que suas descobertas podem ser úteis em testes de garantia de qualidade de espumantes, bem como outras bebidas carbonatadas. Eles disseram que existe a possibilidade de que a medição do som das bolhas possa sinalizar possíveis falhas ou problemas que não são detectáveis pelo gosto apenas. “A aplicação direta seria como uma ferramenta simples que poderia ser usada para monitorar a distribuição do tamanho da bolha em espumantes”, apontou Spratt.

Redação
Publicado em 19/03/2018, às 11h10 - Atualizado às 11h25


Mais Notícias