Revista ADEGA
Busca

Vinho - 02.Mar - Ataque cardíaco

Substância presente no tinto pode ser usada em medicamento para o coração


O índice de mortalidade de pacientes que tomam aspirina e mesmo assim sofrem ataque cardíaco chegou a 50%. Por isso, médicos e pesquisadores começaram a procurar uma nova maneira de prevenir (ou apaziguar) os infartos, e encontraram no resveratrol uma alternativa.

Esta substância, presente nos vinhos tintos, reduz os danos nos músculos cardíacos, tornando possível a reabilitação do paciente. O professor da Universidade de Connecticut, Dipak Das, afirma que o resveratrol tem um efeito pré-ataque, servindo como uma forma de prevenção, e também limita os danos causados ao músculo do coração, responsável pelos batimentos e conseqüentemente, pelo bombeamento do sangue para o corpo todo.

As propriedades dessa substancia conseguem ativar as defesas do coração através da liberação de adenosina. A adenosina pode ser considerada um calmante natural, porque ajuda os vasos sanguíneos a relaxar e desta maneira "reverte" as causas e conseqüências do infarto.

Dr. Das também acredita que os efeitos do resveratrol "são a melhor maneira de proteger o órgão". Segundo seus estudos, a dosagem de 175-350 ml reduz significativamente os danos causados ao coração durante um ataque.

O consumo de vinho tinto também é visto como uma forma de proteção. Na França, o índice de mortalidade (em infartos) daqueles que bebem vinho regularmente é de 90 em 100 mil, enquanto nos que não bebem, o número salta para 240.

Confira as últimas notícias sobre o mundo dos vinhos...

+ Sérvia sonha com prestígio no cenário vinícola mundial

+ Plantações chilenas sofrem com as consequências do terremoto
+ O Melhor Vinho do Dia: Um branco à moda italiana!

+ E&J Gallo será processada pelo escândalo de adulteração de Pinot Noir
+ Pinotage mais caro do mundo é lançado na África do Sul

Redação
Publicado em 02/03/2010, às 07h31 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h46


Mais Notícias