No norte da Itália

Sucesso de Prosecco abre caminho para outras DOCs como Franciacorta

Os 117 produtores da região esperam que a denominação se torne categoria, como Champagne




Silvano Brescianini, vice-presidente do consórcio italiano Franciacorta, acredita que o sucesso dos vinhos da região de Prosecco em todo o mundo abriu o caminho da aceitação de espumantes além de Champagne.

Localizada entre Brescia e Bérgamo, a DOC Franciacorta estabeleceu-se em 1967 e hoje abriga 117 produtores, sendo 20 deles, responsáveis por 80% dos vinhos da região. Os vinhos permanecem em grande medida no mercado interno, com 85% da produção consumida na própria Itália. Os 25% restantes são exportados prioritariamente para Japão, Estados Unidos, Alemanha e Suíça.
[Colocar Alt]

 


Aproximadamente 80% das uvas cultivadas em Franciacorta são Chardonnay, 15% Pinot Noir e apenas 5% de Pinot Bianco. Uma curiosidade é que a região está profundamente empenhada na viticultura orgânica, somando 70% das terras de vinhas já com certificação e os 30% restantes em processo de adequação para que toda a região adquira o status até 2020.

O estilo do Franciacorta é definido por seus produtores como sedoso e apresenta um teor de açúcar residual mais baixo do que os Champagnes, isso porque as uvas amadurecem com mais facilidade devido à maior exposição ao sol, resultando em menor necessidade de açúcar adicional.

Com o amadurecimento dos processos produtivos, o consórcio já percebe um aumento de demanda, e garante que a região é capaz incrementar sua produção em até 20% – porém, não mais que isso, dados os limites rígidos de suas fronteiras.

Nas bancas!

Veja a seguir a primeira parte da entrevista com Maurizzio Zanella, da Ca' Del Bosco, produtor de Franciacorta, que também está publicada na revista ADEGA.  

Agora a segunda parte da entrevista com Maurizzio Zanella, da Ca' Del Bosco, produtor de Franciacorta, que também está publicada na revista ADEGA. 

Por Maria Bolognese

Publicado em 27 de Junho de 2017 às 08:53


Notícias