Revista ADEGA
Busca

Vinho rosé

Vinho Rosé, veja como é feito, harmonizações e mais dicas sobre o vinho rosa

Como é produzido? Em que temperatura deve ser consumido? Descubra nessa reportagem tudo sobre o vinho rosé


O vinho rosé e suas nuances
O vinho rosé e suas nuances

Afinal, o que é vinho rosé?

Quando um vinho não é tinto e definitivamente não é branco, e possui uma tonalidade rosada, que pode variar dos leves alaranjados ao púrpura, o chamamos de rosé. 

As uvas mais comuns para a sua produção (em blends ou varietais) são a Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Cinsault, Carignan, Mourvèdre, Grenache, Sangiovese, Syrah e Merlot.

Como o vinho rosé é produzido?

Existem quatro maneiras de produzi-lo, e já adiantamos que em todas elas, muito raramente o carvalho é utilizado.

A "presagem direta" é o método em que as uvas tintas são trituradas e prensadas (exatamente como na produção de vinho branco), extraindo desta forma, apenas uma pequena porcentagem da cor das peles das frutas, resultando em um rosé de tonalidade clara e delicada.

Vinho rosé: os segredos do vinho do verão
A delicadeza e sabores do vinho rosé

No método de "maceração curta", as uvas tintas são manipuladas como na vinificação típica dos tintos, e uma vez que a fermentação está em curso, o suco é retirado entre 6 e 24 horas após o início do processo, ainda em temperaturas frias. Quanto maior o tempo em que o vinho permanece em contato com a pele da fruta, mais profunda sua cor. O terceiro método é o "saignee" (ou sangria), em que uma parte do suco (cerca de 10%) é removido e o restante permanece em contato com as peles para a produção de vinho tinto. Neste processo o rosé é um subproduto, com tons mais escuros e tipicamente mais alcóolicos. 

Por fim, o método conhecido como "corte", e geralmente considerado o de menor prestígio, consiste em simplesmente misturar uvas tintas e brancas no processo de fermentação, sem previsibilidade do resultado.

Como o vinho rosé deve ser consumido?

A temperatura ideal do rosé é ligeiramente mais alta que do branco, entre 10ºC e 12ºC , em função de seus suaves taninos.

Uma boa dica, é mantê-lo na geladeira por aproximadamente uma hora e meia antes de servir.

Harmonizações

Salada Caesar

Diz-se que o criador da salada Caesar foi o restaurateur Caesar Cardini, um imigrante italiano que tinha restaurantes no México e nos Estados Unidos. As receitas hoje podem variar um pouco, mas costumam conter alface romana, croutons, queijo parmesão, suco de limão, azeite, ovo, molho inglês (Worcestershire sauce), anchovas (há quem conteste esse ingrediente), mostarda Dijon, pimenta preta, lascas de frango (outro ingrediente contestado) etc. Enfim, essa é uma das saladas mais famosas do mundo, juntamente com a francesa niçoise, a grega e a caprese, por exemplo.

Para harmonizar, vamos precisar de um vinho bem leve e refrescante. A primeira pedida provavelmente seria um Sauvignon Blanc com sua gostosa acidez e também seus tons levemente herbáceos que rementem ao verde da salada. Se for acrescentar frango ou até mesmo um salmão grelhado, talvez valha a pena optar por um saboroso rosé, com um pouco mais de corpo, mas sem deixar de lado a acidez. 

Andeluna Blanc de Franc Cabernet Franc Rosé 2019

Andeluna Blanc de Franc Cabernet Franc Rosé 2019 - AD 90 pontos - Andeluna, Mendoza, Argentina

Um rosado de Cabernet Franc assinado por Andeluna, muito delicado e fresco. Aqui, frutas vermelhas frescas se mesclam com aromas de flores, como jasmins e toques herbáceos. Um grande rosé mendocino.

Gaspacho 

Esta sopa fria feita de vegetais crus misturados é originária das regiões do sul da Península Ibérica. O gaspacho (ou gazpacho) é um dos pratos mais consumidos no verão europeu na Espanha e em Portugal.

O gaspacho (ou gazpacho) é um dos pratos mais consumidos no verão ibérico

A receita “original” é, na verdade, uma sopa de tomates. Mas diz-se que a origem do prato tenha sido uma sopa de pão, azeite, água, vinagre e alho que chegou à Espanha com os romanos. Só durante o século XIX o gaspacho “vermelho” teria sido criado, quando tomates foram adicionados. E esta versão foi a que se espalhou internacionalmente.

E já que estamos na Ibéria, podemos selecionar vinhos desses países para acompanhar essa sopa fria. Vale a pena tentar com um refrescante Alvarinho, seja do Minho, seja de Rías Baixas, por exemplo. Certamente haverá uma ótima sinergia entre vinho e prato. Experimente ainda com um suave Pinot Grigio italiano. Ou então um bom exemplar de rosé com estilo provençal. 

Miraval Rosé 2020

Miraval Rosé 2020 - AD 92 pontos - Miraval, Provence, França

Uma propriedade marcada pela boa música, um astro apaixonado pelos vinhos e a expertise da Família Perrin. Sim, o Mirval é produzido na vinícola do ator Brad Pitt, um vinho único em histórias e sensações.

Maria Bolognese
Publicado em 18/07/2022, às 07h45


Mais Escola do vinho