Vinho - 11.Ago - A favor da modernidade

Vinícola da Califórnia lança campanha contra rolhas de cortiça


A vinícola Wine Guerrilla lançou hoje a campanha "Uncorking revolution", uma resposta à pressão que a indústria da cortiça tem feito para que as produtoras de vinho utilizem exclusivamente as rolhas naturais.

Localizada em Sonoma County, na Califórnia, a empresa norte-americana tem sido uma forte defensora das roscas de alumínio, tanto pela seu fácil manuseamento, como também por elas não afetarem a qualidade do vinho. Assim, quando a indústria da cortiça lançou a sua iniciativa "100% Cork" para contrariar a crescente tendência das rolhas sintéticas e tampas de alumínio, a vinícola se sentiu compelida a responder com uma iniciativa à altura.

"Não é que tenhamos alguma coisa contra a cortiça", explica o representante da Wine Guerrilla, Bruce Patch. "Sempre haverá um mercado para ela. Assim como algumas pessoas preferem atravessar o Atlântico em um navio, a atravessá-lo em um avião a jato. Mas você não pode impedir o progresso. O mercado das tampas de rosca não para de crescer", argumenta ele.

De fato, as tampas de rosca foram vistas durante muito tempo como uma escolha dos vinhos de má qualidade. No entanto, fabricantes de bebidas de qualidade nos Estados Unidos e em outro países do chamado "Novo Mundo" do vinho começaram a utilizar essa alternativa nos últimos anos.

"Quem já brigou com uma rolha quando tudo o que queria era uma taça de vinho, ou quem já chegou a um piquenique e percebeu que esqueceu o saca-rolhas vai concordar", disse Patch. "As tampas de rosca oferecem uma conveniência incomparável, sem mencionar os vinhos que você perde por causa de defeitos na cortiça".

ESPECIAL:Pensando "dentro da caixa" - Depois do dilema das rolhas, agora está na hora de repensar as embalagens dos vinhos

Confira as últimas notícias do mundo dos vinhos...

+ Comerciantes questionam sistema de distribuição dos vinhos Bordeaux

+ Enólogo espanhol multiplica naturalmente antioxidante benéfico para saúde

+ Champanhe encontrado em navio naufragado não é Veuve Clicquot
+ Nova Zelândia busca foco em qualidade para combater recessão

+ Washington planeja centro de pesquisa do vinho de US$ 26 milhões

Da redação

Publicado em 11 de Agosto de 2010 às 07:39


Notícias