Vinícolas da União Europeia podem expandir sua produção

UE autoriza seus membros a aumentar áreas vitícolas até 1 % ao ano a partir de 2016


 

A União Europeia (UE) vem perdendo participação no mercado mundial dos vinhos, apesar do aumento contínuo do volume de suas exportações desde 2008. Um estudo sobre o estado do setor vinícola, que acaba de ser publicado pela Comissão Europeia, mostrou que a UE continuará aumentando suas exportações enquanto a demanda europeia diminuirá.

O comissário de agricultura e desenvolvimento da UE, Phil Hogan, criou o sistema de 1% de crescimento, que, segundo ele, “promoverá flexibilidade para que o setor de vinhos europeus expanda gradualmente a produção, acompanhando a demanda global”. Hogan pondera, no entanto, que membros terão uma série de regras para cumprir. “Para evitar eventuais riscos sociais e ambientais nas áreas de produção de vinho específicas”.

Essas regras permitem aos países que fazem parte da UE aplicar limites de plantio específicos a nível regional. Desde 2008, membros como França, Itália, Espanha e Portugal só recebem autorização para plantar vinhas novas se deixam de cultivar suas uvas em uma área equivalente ao terreno expandido, mantendo sempre as mesmas medidas do campo de produção. Essa regra será desfeita quando o novo sistema for introduzido em janeiro de 2016.

 

Alsácia, França

Da redação

Publicado em 8 de Maio de 2015 às 16:37


Notícias