A viagem do prazer

ADEGA explica como transportar seu charuto sem perder nada do que ele tem para oferecer


Caixa umidificadora de pequeno porte, ideal para viagens longas

Um bom degustador de charuto costuma manter sua seleção predileta em condições impecáveis de consumo, preferencialmente em uma ou várias caixas umidificadoras em casa, no escritório etc. E se pintar alguma viagem? Apreciador que se preze não deixa de levar com ele o objeto de seu prazer. Mas pode ter uma surpresa desagradável ao apreciá-lo, caso não tenha transportado o charuto de forma conveniente.

Para o transporte, o ideal é ter um porta-charutos, ou charuteira, que atenda às necessidades do degustador. O mais comum e mais utilizado é o revestido de couro, de fácil manuseio e prático para carregar. Mas há outras opções de materiais, como fibra de carbono, acrílico ou metal, mais barato e simples de se encontrar.

Um dos critérios na escolha da charuteira é a sua estrutura. As rígidas são as mais adequadas, pois se houver algum incidente, o charuto dificilmente será amassado. Outra característica importante a ser observada é o número de compartimentos. Os mais usados são aqueles que acomodam duas ou três unidades. "A charuteira com capacidade para até três unidades, revestida de couro, é ideal para quem vai a um evento", diz Rodrigo Gorga, epicure sommelier da Lenat. Também são ideais para levar a um jantar ou em reuniões com amigos.

#R#

No entanto, se o degustador quer preservar as qualidades do charuto durante um período mais longo, o ideal é adquirir uma caixa umidificadora de pequeno porte, ideal para viagens. São semelhantes às caixas de mesa, mas em um tamanho reduzido, com um refusor, peça plástica com uma esponja. "Ao ser colocada a água, o dispositivo é acionado e, dessa maneira, mantém o charuto na sua umidade ideal, preservando todas as suas notas", diz Arthur Avedissian, da Davidoff. Essas caixas são encontradas com revestimento de madeira e couro.

Envelopes de fechamento a vácuo com gel umidificador: prático, eficiente e barato

Porém, o mercado oferece uma opção bastante prática e econômica para quem não está disposto a gastar em uma caixa umidificadora de viagem. O degustador pode adquirir um saco plástico, de custo bastante baixo, em formato de envelope e fechamento a vácuo, que contém um gel umidificador. Esse envelope tem a mesma função da peça plástica contida na caixa umidificadora. O gel absorve e libera a umidade necessária, em torno de 70%, e, dessa maneira, todas as características do bouquet são preservadas. A "improvisação" é ideal para viagens rápidas ou até mesmo para o dia-a-dia. Vale ressaltar que esse envelope tem um lacre. Após sua abertura, a durabilidade do produto é de seis meses. Também há opções de tamanho, com capacidade para três, dez e até 25 charutos.

Uma outra novidade: o gel contido no envelope pode ser adquirido à parte e inserido em outra embalagem. Ele é útil, por exemplo, quando o degustador compra uma caixa com vinte unidades e não tem uma caixa umidificadora à mão.

Seguindo essas recomendações, seja em um evento, jantar ou até mesmo em uma longa viagem, o degustador estará seguro de que todas as características do charuto estarão preservadas, proporcionando um momento único de prazer.

Fernando Roveri

Publicado em 14 de Dezembro de 2006 às 08:51


Charutos

Artigo publicado nesta revista