Os 10 mandamentos do Charuto

Da compra e acendimento à "morte com dignidade", ADEGA ensina o passo a passo para transformar o charuto em um companheiro dos melhores momentos da vida


O ritual de degustação do charuto pode ser comparado ao do vinho. O enófilo procura uma loja especializada para comprar seu estilo de vinho preferido. Se conhecer pouco do universo de Baco, pedirá auxílio aos atendentes. Com mais experiência, poderá delimitar os vinhos que mais agradam seu paladar. Da mesma maneira que um connaisseur não comprará um Grand Cru Classé armazenado de forma inadequada, com a garrafa em pé, por exemplo, ou em temperaturas impróprias, um apreciador de charutos evitará as peças que estiverem ressecadas e com a capa danificada. A seguir, o passo a passo para a degustação prazerosa de charutos, com ou sem anilha (confira alguns termos no "Dicionário Cigar", no final do artigo).

1. Em Busca do Charuto Prometido
Atualmente, encontrar charutos de boa procedência no Brasil não é uma tarefa fácil. Mas, em lojas especializadas, há vendedores bem treinados que podem orientar na escolha de charutos e acessórios.

2. Aprendendo com a prática
Caso seja iniciado, peça um charuto que agrade seu paladar. Se você for neófito, escolha um charuto mais suave e de curto tempo de queima. Este cuidado vai evitar uma decepção prematura no prazer da degustação.

3. A boa escolha visual
Observar a condição de um charuto antes da compra é uma etapa importante, que deve ser apreciada com calma. É possível comprar charutos avulsos, o que permite a seleção dos melhores. Os charutos devem ter uma boa apresentação de capa - elas não podem estar danificadas, rasgadas, soltas ou ásperas demais. Em uma caixa completa, as anilhas devem estar na mesma posição e as capas com uma coloração uniforme, podendo apresentar uma sutil diferença.

4. A boa escolha sensitiva
Esteja à vontade para pegar um ou mais charutos para sentir sua textura, passando seus dedos pela capa. Prefira sempre as mais lisas e uniformes. Leve o charuto ao nariz para sentir o aroma, tanto da capa quanto do filler interno. Faça isso pela extremidade aberta do charuto. Os charutos, assim como os vinhos, podem mudar o blend dependendo dos formatos e das safras.

5. Desfecho da compra sem receios
Evite charutos duros demais ou com saliências em sua construção. Essas características podem ser detectadas segurandose o charuto entre o indicador e o polegar e pressionando-o suavemente para sentir a umidade e eventuais talos que comprometam o fluxo da fumaça. A oleosidade das capas é um bom sinal. O charuto bem ressecado apresenta uma capa bastante áspera e um corpo mais duro, sinais de que foi mal armazenado ou é de má qualidade.

O toque e o olfato são excelentes indicadores para uma boa aquisição. Uma dica: não leve o charuto ao ouvido para pressioná-lo até estalar.

6. O corte seguro
O corte de seu charuto é muito importante no processo da degustação. O charuto pode ser cortado ou furado - existem variações entre eles -, modificando a concentração da fumaça, o que pode aumentar ou diminuir o fluxo. Um iniciante deve dar preferência ao corte, pois ele proporcionará um maior volume de fumaça e um fluxo mais agradável e suave. Caso nunca tenha cortado um charuto, peça ao vendedor uma demonstração. E pratique.

O corte deve ser feito centímetros antes do acabamento da capa demarcado pela "tampa". Os cortadores de lâminas duplas, conhecidos como guilhotinas, são os mais precisos.

#Q#

7. O acendimento
O principal cuidado no acendimento de um charuto é fazê-lo com uma chama inodora, para que ele não absorva aromas e sabores que alterem suas características. Prefira um isqueiro de gás butano.

Nunca utilize um de fluído. Os isqueiros conhecidos como maçaricos conseguem uma combustão completa do gás e, por este motivo, são os mais recomendados.

O acendimento com fósforos longos e de combustão mais demorada também é recomendado

8. A fumada inicial
O acendimento e a fumada inicial estão diretamente relacionados. Um charuto deve ser apreciado a cada segundo.

Quando acender seu charuto, procure não levá-lo a boca para evitar um aquecimento prematuro e indesejado. Comece apontando a chama das bordas para o centro em toda a circunferência, soprando a brasa para obter um acendimento uniforme. Só então o leve a boca, sem a proximidade do acendedor. Agora sim, dê a primeira puxada. Para completar o acendimento, aproxime a chama e rode o charuto, dando puxadas suaves.

9. A degustação
Os charutos possuem notas que variam desde madeiras e condimentos até especiarias e frutas. São ótimos para serem degustados após o almoço ou o jantar. Bebidas como brandy, rum, uísque, vinho do Porto e licor acompanham muito bem os charutos, mas não são únicas e nem determinantes na harmonização de seu estilo preferido. Os charutos mais fortes e encorpados, de notas mais marcantes, devem harmonizar com bebidas de características semelhantes. Neste caso, prefira bebidas destiladas. O teor alcoólico elevado não permite sobreposição de sabores e aromas. Harmonização de charutos com fermentados ou bebidas que possuam teor alcoólico mais baixo (ou nenhum), pedem charutos mais suaves e leves.

10. A morte com honra
Fumar seu charuto além da anilha não é errado. Procure retirá-la após ter fumado o charuto até a metade. Dessa maneira, o calor ajuda na retirada da anilha, evitando que a capa seja danificada. Retirar a anilha de um charuto antes de fumá-lo é uma dúvida entre os apreciadores. Muitos afirmam ser uma ostentação não retirá-la. Marvin R. Shanken, editor-chefe da Cigar Aficionado, fuma seu charuto com a anilha. Ao ser questionado sobre isso, ele retrucou: "Você retira o rótulo de um vinho antes de abrilo?". Portanto, a escolha é sua. Quando o charuto começa a exalar um ressaibo e a fumaça fica bem mais quente, é o momento de deixar apagar, isso mesmo, não apague o charuto amansando-o no cinzeiro. Deixe que ele apague sozinho apoiado o cinzeiro. Isso é chamado de "morrer com dignidade".

O nascimento e morte de um charuto eternizam os melhores momentos da vida. Boas baforadas!

DICIONÁRIO CIGAR
Anilhas: selos que envolvem os charutos e trazem a logomarca e o nome do fabricante.
Filler: folha de uma planta de fumo.
Cepo: aparelho utilizado pelos fabricantes para controlar o diâmetro dos charutos.
Talo: encontra-se no centro da folha de fumo (Filler).
Lâminas de cedro: a grande maioria das caixas de charuto traz uma folha de cedro que cobre as peças. As lâminas são extraídas no sentido das fibras da madeira.

Paulo Rogério Bueno

Publicado em 29 de Agosto de 2007 às 09:07


Charutos

Artigo publicado nesta revista