Borboletas de penitenciária ajudam indústria do vinho de Washington

Projeto da penitenciária estadual de Washington cria borboletas para ajudar a controlar pragas em vinhedos


Borboleta

Os “domadores de borboletas”,  um grupo de presos que criam borboletas monarca na penitenciária estadual de Washington, nos Estados Unidos, vão colaborar com a indústria do vinho do estado. Eles fazem parte de um projeto de pesquisa da Washington State University e sua borboletas terão a tarefa de ajudar os produtores de vinho a contar ácaros e insetos  das folhas para fornecer informações atualizadas sobre as pragas e seus predadores.

"Esta é uma iniciativa relativamente nova", disse David James, professor de entomologia que esteve envolvido com o programa desde o início. Os presos foram treinados neste verão para reconhecer, identificar e enumerar todos os artrópodes em folhas de uva, incluindo aranhas e os ácaros, que são de particular interesse para os produtores .

Segundo ele, uma pesquisa detalhada sobre os ácaros de videira foi feita em 2001-2002, mas "muita coisa pode acontecer em 10 anos ou mais, especialmente na indústria da uva em rápida expansão Washington". “O problema com ácaros é que eles são muito pequenos e, para fazer um levantamento, você precisa coletar um monte de folhas e passar muitas horas olhando para o microscópio, e contando”, diz

Até o momento, o trabalho dos presos encontrou pequenas populações de aranha e ácaros, em um número saudável, e uma diversidade de insetos predadores, que mantêm as populações de ácaros sob controle.

“Embora a pesquisa ainda esteja em estágio inicial, os sinais são bons. Estamos criando conhecimentos entomológicos valiosos que irão beneficiar indústria da uva de Washington”, aponta James.

O próximo passo será começar a criação de borboletas nativas menores e mais delicadas, como parte de um projeto de integração de plantas nativas e polinizadoras nos vinhedos.

Da redação

Publicado em 7 de Outubro de 2013 às 09:08


Notícias borboletas penitenciária washington