Revista ADEGA
Busca

Don Melchor

Don Melchor: como nasce o ícone

Um dos símbolos da Concha y Toro, Don Melchor é um vinho que não fica parado no tempo


Don Melchor da vinícola chilena Concha y Toro
Don Melchor da vinícola chilena Concha y Toro

Apesar da primeira safra do Don Melchor datar de 1987, temos que retornar até o longínquo 1883 para entender esse vinho.

Foi nesse ano que Don Melchor Concha y Toro trouxe uvas de Bordeaux, na França, e as plantou em Pirque, aos pés dos Andes chilenos. Ali começava a história da Vinícola Concha y Toro, empresa que, mais de um século depois, se tornaria uma das maiores do mundo no segmento.

O rótulo que leva seu nome nasceu como um 100% Cabernet Sauvignon do magnífico terroir de Puente Alto. Porém, com o tempo, ele passou a ser um blend que recebe parcelas de Cabernet Franc, Merlot e Petit Verdot, sempre sob a supervisão do prestigiado enólogo Enrique Tirado, encarregado do Don Melchor desde 1997.

O vinhedo em Puente Alto é subdividido em 7 parcelas de Cabernet Sauvignon cada uma com suas características singulares que são utilizadas de acordo com as condições da safra. Por exemplo, a Parcela 1 é reconhecida por dar uvas intensas, ricas em frutas vermelhas e taninos sedosos; já a Parcela 7, no entanto, se destaca pelas notas florais e de especiarias como pimenta.

Don Melchor da vinícola chilena Concha y Toro
Enrico Tirado, enólogo responsável pelo Don Melchor desde 1997

Para completar os 127 hectares do vinhedo há ainda três pequenas parcelas plantadas com Cabernet Franc, Merlot e Petit Verdot que eventualmente aparecem em menor quantidade no blend final.

Mas não ache que Don Melchor é um vinho parado no tempo.

Em 2015, por exemplo, foi implementado um programa de corredores biológicos que visam desenvolver o ecossistema da região, garantindo o reflorestamento de espécies nativas e à preservação dos cursos d’água que ajudam a manter o clima único do vinhedo, além de reduzir a degradação do solo.

Don Melchor da vinícola chilena Concha y Toro

ADEGA já degustou as diversas safras do Don Melchor em mais de trinta degustações. Com alguns anos sendo degustados por mais de uma vez, com um interessante tempo de diferença – caso do 2001 degustado em 2011 quando recebeu AD 93 pontos e novamente em 2020 recebendo AD 94 pontos – e sempre recebendo excelentes notas.

André De Fraia
Publicado em 26/07/2022, às 11h30


Mais Mundovino