PUBLIEDITORIAL

Entre na região dos vinhos do Tejo

Cortada pelo Rio Tejo, a região possui belezas naturais, terroirs e vinhos únicos


 

 

Vista do Rio Tejo, o rio que une a região

A Região Vitivinícola do Tejo está localizada no centro de Portugal, a pouca distância de Lisboa. O rio não é o que separa, mas o que liga um território vitivinícola com 12.500 hectares de vinhas distribuídos por 21 municípios. Largo e imponente, o Tejo é o maior rio de Portugal. Como elemento primordial da paisagem, moldou a história dos que lá vivem, criam e trabalham, influenciando o clima e o terroir. 

A região do Tejo e seus terroir únicos

Lá, os dias bastante quentes asseguram a maturação da fruta. As noites, frescas e húmidas, diminuem o estresse hídrico das videiras, dando às uvas características que permitem fazer vinhos de grande qualidade e com potencial de guarda.

VINHOS

Dos 12.500 hectares de vinha, 2.500 dão origem a vinhos com denominação de origem DOC do Tejo e 5.000 a vinhos com certificação IG Tejo. Todos são reconhecidos e apreciados pelo equilíbrio, frescor e aromas frutados. Resultam de uma combinação harmoniosa de sábias e velhas tradições com os novos conhecimentos de uma jovem e qualificada geração de viticultores e enólogos.

Vinhedos na área de charneca do Rio Tejo

O Tejo tem alguns dos mais vibrantes e acessíveis vinhos de Portugal, oferecendo uma gama diversificada e diferenciada de estilos, para todos os gostos, orçamentos e ocasiões. A produção anual, que cresce safra após safra, atingiu, no ano passado, os 23,3 milhões de litros.

Nos brancos, o perfil traduz-se em vinhos muito aromáticos, frescos e elegantes. Os tintos são muito equilibrados, frescos e com taninos distintos. No nariz, sobressai a fruta.  Já nos tintos de guarda a madeira revela-se de forma discreta.

A região do Tejo produz também excelentes vinhos rosés, espumantes, frisantes, e ainda licorosos e colheitas tardias.

ROTA DOS VINHOS DO TEJO

Mas o vinho não é o único trunfo da região do Tejo. Das ruínas romanas aos castelos góticos, passando pelos mosteiros manuelinos e pelas vilas medievais, há todo um encanto histórico que aqui se conserva na pedra e no declive fértil das colinas. Há também os extensos olivais, as florestas de sobreiro, o gado Mertolengo e os famosos cavalos Lusitanos. E as paisagens vivas, perfumadas, de azul sereno e verde expressivo, convidam a entrar e ficar.

O Rio Tejo, marca do turismo e do vinho da regiao

Por toda a região há propriedades seculares dedicadas ao enoturismo onde o convívio, a tradição dos vinhos, a arte da gastronomia local e a proximidade à natureza resultam em experiências para lembrar e repetir.

Confira agora algumas vinícolas e dicas de vinho para apreciar o Tejo em sua plenitude.

Falua - Sociedade de Vinhos

A Falua - Sociedade de Vinhos, tem produzido nas suas instalações de vinificação em Almeirim desde 2004 vinhos de grande qualidade.

A sua adega, construída com os equipamentos mais sofisticados e modernos, permite que a Falua engarrafe 6 milhões de garrafas de vinhos tinto, branco e rosé de alta qualidade.

 

Conde Vimioso Sommelier Edition Tinto 2017, Vinho Regional do Tejo

Castas: Aragonez, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot, Syrah

Confira aqui as degustações da Falua que a ADEGA já fez.

Adega do Cartaxo

Desde 1954, que a Adega Cooperativa do Cartaxo se orgulha dos seus valores que assentam na premissa “O sabor do tempo bem passado”. O reforço da capacidade humana e tecnológica consolida uma produção vinícola de qualidade.

A região vitivinícola do Tejo integra a sub-região do Cartaxo e confere à produção da Adega do Cartaxo a denominação de Vinho Regional e DOC do Tejo. Genuínos, típicos e autênticos, os vinhos da Adega do Cartaxo conferem um elevado grau de qualidade alcançando desta forma o reconhecimento dos verdadeiros apreciadores de vinho.

 

Bridão Private Collection Tinto 2017, DOC Tejo

Castas: Touriga Nacional, Alicante Bouschet

 

João Barbosa

Desde pequeno que João Teodósio Matos Barbosa passeava com o seu avô, fundador da empresa Caves Dom Teodósio, e observava as vinhas e o trabalho que lá se desenvolvia. É desta vivência que nasce a sua paixão pelo vinho e vontade de pertencer ao projeto familiar. Aprendeu e desenvolveu conhecimentos na própria vinícola do avô.

Em 1997, decidiu fundar a sua própria empresa familiar com produção a partir de uvas exclusivamente próprias, em produção integrada e biológica. Vinhos de autor onde o produtor pode se expressar e deixar os terroirs das duas regiões escolhidas também se expressarem.

Cada uma das duas regiões, Tejo e Alto Alentejo, têm as suas adegas e respetivas marcas: Ninfa no Tejo (Adega Porta de Teira em Rio Maior) e Lapa dos Gaivões no Alto Alentejo (Adega Valle de Junco em Esperança, Portalegre).  Nessas duas propriedades fazem-se vinhos de autor, autênticos e únicos.

 

Ninfa Escolha Tinto 2015, DOC Tejo

Castas: Alfrocheiro, Touriga Nacional

 

Casal Branco

Fundada em 1775, a propriedade que durante quatro séculos foi coutada real, ou seja, uma área de preservação voltada para as atividades de caça da monarquia, estende-se hoje por 1.100 hectares. Desses, 119 são ocupados por vinha em solos de charneca. A propriedade da família Braamcamp Sobral Lobo de Vasconcelos é uma das propriedades mais emblemáticas da margem sul do Tejo. O início do século XX ficou marcado por uma profunda intervenção levada a cabo por D. Manuel Braamcamp Sobral em toda a propriedade, com a introdução de maquinário a vapor, plantio de novas castas, modernização e ampliação da adega bem como das restantes infraestruturas.

A forte aposta na viticultura e na produção vinícola, deu início a uma tradição marcada pela inovação, qualidade e consistência dos vinhos produzidos até aos nossos dias. A Quinta do Casal Branco é um lugar privilegiado para desfrutar de múltiplas experiências do vinho.

Falcoaria Tinto 2016, DOC Tejo

Castas: Alicante Bouschet, Castelão, Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon

Confira aqui os rótulos degustados pela ADEGA da Quinta do Casal Branco.

Casa Cadaval

O Palácio da herdade de Muge, sede da vinícola, tem uma história secular. Foi habitado pela Rainha D. Leonor de Áustria (terceira mulher de Rei Manuel I e irmã do Imperador D. Carlos V), que viveu no castelo até 1530. Só no início do séc. XVII é que a propriedade, então pertencente à família dos Condes de Odemira, passou para o domínio da Casa Cadaval. A filha, Dona Maria de Faro, Condessa de Odemira, se casou com D. Nuno Álvares Pereira de Melo, 5º Conde de Tentúgal, 4º Marquês de Ferreira e o 1º Duque de Cadaval.

A Casa Cadaval tem atualmente uma propriedade que totaliza cerca de 5.400 hectares e é gerida, há 5 gerações consecutivas, por mulheres. Hoje Teresa Schönborn, Condessa de Schönborn e Wiesentheid, é a presidente do conselho de administração desta Casa.

Trincadeira Preta Tinto 2016 (Vinhas Velhas), DOC TEJO

Castas: Trincadeira Preta

Confira aqui os rótulos degustados pela ADEGA da Casa Cadaval.

Casal da Coelheira 

Uma paixão familiar de três gerações, que cresce nas margens do rio Tejo, junto à Vila de Tramagal, e que se estende por uma área com cerca de 250 hectares, distribuídos entre vinhas e diversas culturas arvenses protegidas por uma pequena área de pinhal.

A diversidade paisagística da exploração tem permitido a permanência de algumas espécies como a perdiz, o pato bravo, o javali e, muito especialmente, o coelho, espécie abundante que terá dado origem ao nome da propriedade, a Quinta do Casal da Coelheira.

Quinta de São Vicente Reserva, Vinho Regional Tejo

Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Cabernet Sauvignon

Confira aqui os rótulos da vinícola Casal da Coelheira degustados pela ADEGA.

Enoport Wines

Ao longo dos anos, a Enoport Wines unificou algumas das mais antigas e emblemáticas empresas Portuguesas de vinho - Caves Velhas, Caves Dom Teodósio, Adegas Camilo Alves, e Caves Moura Basto, consolidando assim um extenso portfolio de marcas, entre elas – Cabeça de Toiro, Lagosta, Faisão, Quinta São João Batista, Bucellas, Quinta do Boição, Romeira, Amarante, Fim de Século, Caves Velhas e Casaleiro.

O grupo é detentor de 7 propriedades vinícolas distribuídas pelas várias regiões vitivinícolas de Portugal, num total de 400 ha de terra e 4 centros de vinificação.

Cabeça de Toiro Reserva Tinto 2016, DOC Tejo

Castas: Touriga Nacional, Castelão, Syrah

Confira aqui os rótulos degustados pela ADEGA da Enoport.

Quinta da Ribeirinha

A paixão pelo vinho e, mais do que isso, a dedicação constante à atividade vitivinícola vem atravessando a família Cândido há várias gerações. José Cândido, o patriarca da Família desenvolveu desde tenra idade a sua atividade profissional como agricultor, tendo sido o vinho a sua principal fonte de rendimento.

Como produtor de vinhos, naturalmente, de uma forma por vezes empírica, desempenhou múltiplas funções ao longo do processo: viticultor, vinificador, armazenista e por fim, vendedor. Era unicamente sua a responsabilidade pela qualidade do vinho produzido assim como o contato com os apreciadores, seus potenciais clientes. A sua preocupação permanente era produzir um vinho apetecível ao gosto dos seus provadores.

Hoje seus filhos Joaquim, Marina e Rui completam a equipe da vinícola.

Vale de Lobos Tinto Reserva Tinto 2016, Vinho Regional Tejo

Castas: Trincadeira, Syrah, Cabernet Sauvignon, Aragonez

 

Fiuza

A Família Mascarenhas Fiuza dedica-se à vitivinicultura há mais de um século. Mas foi em 1986 que surgiu a parceria entre o produtor de vinhos Joaquim Mascarenhas Fiuza e o prestigiado enólogo australiano Peter Bright, nascendo a empresa Fiuza & Bright.

Pioneira no estudo das castas internacionais em solos portugueses, a empresa desenvolveu uma gama de vinhos monovarietais.

Hoje, essas castas são também casadas com as melhores uvas nativas, criando vinhos verdadeiramente únicos. A Fiuza & Bright produz os seus vinhos com as uvas provenientes das suas quintas, cultivadas em solos argilosos e argilo-calcários e vindimadas de forma manual e mecânica, garantindo a produção de vinhos de elevada qualidade.

Reserva Alicante Bouschet Premium Tinto 2016, Vinho Regional Tejo

Casta: Alicante Bouschet

Confira aqui a pontuação que a ADEGA deu para a vinícola em suas degustações.

Quinta do Casal monteiro

Fundada em 1979, a Quinta do Casal Monteiro vinifica safras de produção limitada exclusivamente na sua quinta de 80 hectares.

Com uma idade média de 35 anos, as vinhas situam-se em férteis solos aluviais arenosose e são adotados métodos tradicionais de viticultura aliados a práticas de gestão ecológica, resultando numa produção de baixo rendimento e vinhos de elevada qualidade.

Além disso, as características do clima temperado sub-mediterrânico e a proximidade com o rio Tejo conferem aos vinhos uma identidade própria e singular, revelada quer nos aromas exuberantes, quer no paladar complexo revestido por uma acidez soberba.

Clavis Aurea Reserva Tinto 2018, DOC Tejo

Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Cabernet Sauvignon

Confira aqui os rótulos da Quinta do Casal Monteiro degustados pela ADEGA.

Agro-Batoréu

Desde 1880 que a família Batoréu se dedica à vitivinicultura em Aveiras de Cima, Região Vitivinícola do Tejo. Esta atividade tem passado de geração em geração até aos dias de hoje.

Em 1988 foi constituída a sociedade agrícola Agro-Batoréu, tendo como objetivo a produção, engarrafamento e comercialização de vinhos de qualidade.

Associando tradição, arte e tecnologia, os vinhos são produzidos a partir de castas selecionadas criadas das vinhas em Aveiras de Cima, numa área de cerca de 40 hectares. A qualidade dosvinhos tem por base um conjunto rico e diversificado de castas tradicionais portuguesas, tais como Arinto e Fernão Pires (vinhos brancos), Trincadeira, Aragonez e Touriga Franca (vinhos tintos). Recentemente, foram introduzidas castas internacionais, incluindo Cabernet Sauvignon, Alicante Bouschet e Syrah. A produção anual é de aproximadamente 200.000 L de vinho tinto, 50.000 L de vinho branco e 10.000 L de vinho rosé.

Terra Silvestre Reserva Tinto 2018, DOC Tejo

Castas: Touriga Franca, Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Syrah

 

Adega de Almeirim

 No coração do Ribatejo, em 1958, nasceu a Adega de Almeirim - uma das maiores adegas cooperativas de Portugal. Com 2.000 hectares de vinha, produz anualmente 23 milhões de litros de vinho, sendo um dos maiores produtores a nível nacional.

Atualmente conta com a colaboração de 195 sócios acompanhados regularmente pelos melhores técnicos que conferem um maior controle sobre as vinhas e a sua matéria-prima.

Portas do Tejo Branco 2019, Vinho Regional Tejo

Castas: Fernão Pires e Moscatel

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 27 de Outubro de 2020 às 16:00


Notícias Tejo Portugal Vinho Vinícolas Dicas Enoturismo