Deliciosos

Os licores e suas frutas, plantas e ervas

Sem limitação de terroir, os licores são elaborados no mundo todo e revelam o prazer do ser humano em apreciá-los


A família dos licores, bebidas doces, cálidas e reconfortantes, conservou durante muito tempo a supremacia na preferência dos consumidores até ser desbancada pela moda das bebidas secas, o uísque, em particular.

Entretanto, continuam bastante demandados licores produzidos em vários países ao redor do mundo, importados pelo Brasil ou fabricados aqui sob licença.

De frutas frescas

De países europeus, particularmente da França, provêm licores de frutas afamados como os indicados no quadro a seguir: A ameixa mirabela, uma variedade amarela euro-asiática, origina uma bebida de renome na França, o Eau-de-Vie Mirabelle, sofisticado e feminino. Há os licores produzidos com frutas mais utilizadas na fabricação de geléias e doces do que consumidas in natura. Exemplo clássico é o da framboesa que origina uma aguardente requisitada, a Himbeergeist, produzida nos países de língua alemã, e a Framboise, na França e na Suíça. Há quem julgue se tratar da melhor bebida alcoólica de fruta. O costume é bebê-la gelada, após a refeição, em copos grandes. O Poire William é uma aguardente com penetrante perfume de pêra. Teve seu momento no Brasil quando foi escolhida como a bebida oficial pelo grupo que se reunia em torno do político Ulisses Guimarães. Para o bem ou para o mal, a Constituição brasileira leva discreto sabor de poire em seu conteúdo.

FRUTA RÓTULO ORIGEM
Cereja Vermelha Kirsch Suíça, Áustria e Alemanha.
Cereja Marasca Marasquino Itália
Framboesa Himbeergeist Alemanha e Áustria
Laranjas Curaçao França (Cointreau, Grand Marnier)
Maçã Calvados França ( Normandia, Bretanha)
Ameixa Mirabela Mirabelle França
Pêra Poire William França

De frutas secas

Da Europa e do Oriente Médio provêm os de frutas secas, como o Slivivits, licor de ameixa preta do Leste Europeu:

No Brasil, Frangélico e Nocello são bem conhecidos e muito consumidos na sobremesa. São adamados e têm o aroma nítido das frutas secas que lhes deram origem. Já a tamareira é uma palmácea cultivada no Oriente Médio e no norte da África. Quando secas, as tâmaras fornecem distintos produtos, entre eles os chamados "vinhos de tâmara", como o Arack ou Arrack, no Oriente Médio, e o Zibib, no Egito.

FRUTA RÓTULO ORIGEM
De ameixa preta Slivovitz Bulgária, Sérvia, República Tcheca
De avelãs Frangélico Itália
De nozes Nocello Itália
De tâmaras Arack e Zibib Oriente Médio, Egito

De plantas

Certas plantas européias e americanas formam a base de aguardentes e licores diversos. Limitemo-nos aos seguintes:

FRUTA ORIGEM ORIGEM
Do Alcaçuz Pastis França (Marselha)
De Anis Anicione e Sambuca Itália
De Agave Tequila México
Da Genciana Enzian ou Gentiane Suíça
Da Menta Marie Brizard França
De Zimbro Gim Inglaterra

A tequila vem de uma herbácea

Atribui-se aos maias a obtenção de aguardentes de plantas do deserto, como o agave, o que posiciona os álcoois mexicanos entre os mais antigos do mundo. Também a eles se atribui a descoberta do suco do agave maguey, planta herbácea gigante de regiões áridas. Conhecido como aguamiel, o suco doce de maguey é submetido à fermentação. O líquido resultante, pulque, destilado e retificado, fornece a bebida mexicana típica que leva o nome do distrito de Tequila, mesmo que também seja fabricada em Toluca e em Jalisco. É costume mexicano - agora globalizado - beber tequila com limão ou suco de tomate apimentado e sal.

E o zimbro perfuma o gim

Várias plantas possuem propriedades medicinais descobertas acidentalmente e depois confirmadas pela farmacologia. É o caso do zimbro, um arbusto europeu de bagas perfumadas, pouco cultivado no Brasil.

De seu nome científico juniperus deriva o inglês ginever, abreviado para gin, uma aguardente de cereais aromatizada com zimbro. Na Holanda, destila-se uma papa de cereais, também aromatizada com zimbro, obtendo-se um destilado vendido como gim a preços populares. Já os grandes fabricante ingleses - Gordons, Tanqueray, Gilbeys - usam grãos de cereais de primeira categoria para obter o destilado.

Somente após a retificação do produto são adicionadas as bagas aromatizantes de zimbro.

Conclusão

A totalidade das bebidas acima citadas representa menos de um quarto do elenco dos licores disponíveis no mercado. Citemos en passant alguns que ficaram de fora: o rum e a cachaça da cana de açúcar, o barak de damasco, a tuica de ameixas, vodka e schnapps de batatas etc. Uma lista completa ocuparia livros e mais livros, demonstrando a capacidade e o prazer do ser humano em consumir licores.

Euclides Penedo Borges

Publicado em 11 de Maio de 2016 às 11:00


Notícias