Imigrantes italianos hoje fazem espumantes ambiciosos, na Serra Gaúcha


Para resultar em rótulos de altíssima qualidade, o processo de maturação acontece na cave subterrânea de espumantes da vinícola, considerada a maior da América Latina

Os Valduga chegaram do norte da Itália ao Vale dos Vinhedos em 1875, e foram das primeiras famílias a desenvolver a viticultura ali. Mais de 100 anos depois, em 1982, começaram a engarrafar seus próprios vinhos, com um portfólio de vinhos tranquilos e de espumantes. Hoje o catálogo da Casa Valduga destaca-se por ter vários espumantes ambiciosos, que podem passar vários anos em estágio antes de serem comercializados. Elaboram seus vinhos principalmente com os 200 hectares que têm no Vale dos Vinhedos, ainda que também com vinhedos que têm na Serra do Sudeste e na Campanha. A produção total é de 2 milhões de garrafas, sendo 55% de espumantes.

 

LEIA MAIS:

» Qual o estilo do espumante brasileiro?

» Provamos a nova safra da Casa Valduga

 

Desde a criação pelas mãos do patriarca Luiz Valduga, , a vinícola mantém a essência familiar, comandada pelos irmãos Erielso, Juarez e João Valduga, que junto de seus filhos continuam a transmitir a paixão pelo vinho

 

Seguindo as tradições da região de Champagne, na França, a vinícola dedica especial atenção á elaboração dos seus espumantes

 

A Casa Valduga expandiu suas fronteiras e, atualmente, concentra sua produção em três regiões ao sul do Brasil: Vale dos Vinhedos, Serra do Sudeste e Campanha

 

Os tintos de guarda, amadurecem em barris de carvalho franceses e no final do período passam para as caves subterrâneas

 

› Para ver os melhores vinhos avaliados da Casa Valduga, clique aqui.

 

Da redação

Publicado em 8 de Abril de 2020 às 15:47


Notícias