Luto

O mundo do vinho perde Celso La Pastina, um de seus campeões e visionários


 

 

Acho que pouquíssima gente sabe, mas Celso no início da internet registrou o domínio vinho.com.br. Tentei comprar a marca algumas vezes. Nunca tive sucesso, mesmo aproveitando momentos em que um Borgonha natural o deixava mais emotivo rsrsr. Sei que ele guardava este ativo para o momento certo, como o sniper empresarial que sempre foi. 

Celso enxergava o que poucos enxergavam, e sem alarde dava o tiro certeiro. Foi assim quando foi pioneiro na criação de produtos gastronômicos com a marca própria La Pastina, depois com o lançamento da World Wine, também quando comprou a Enoteca Fasano e celebrou o acordo para os produtos da marca Fasano, e agora novamente com a nova estratégia para a divisão La Pastina. 

No campo profissional Celso foi um dos primeiros apoiadores da revista ADEGA, nosso primeiro anunciante de página dupla, e desde então esteve conosco sempre. 

Também compartilhamos paixões, entre elas o vinho e os negócios. 

Fã dos esportes, Celso acompanhava de perto o alto rendimento, do golf ao automobilismo, passando pelo tênis que nos aproximou ainda mais. Em 2010 eu estaria na França para Roland Garros e na mesma época Celso iria à Borgonha. Decidimos juntos, assistir a final feminina de Roland Garros e depois ir à Borgonha. A final teve um gosto especial para Celso, com a vitória de Francesca Schiavone, a primeira vitória de uma italiana no torneio. 

Para mim o especial foi viver uma aula de Borgonha, sobretudo dos fascinantes vinhos naturais. Passamos dias incríveis e muito divertidos com Liliane e Jacques (de quem tomamos várias broncas rsrs). 

Mais que um parceiro, Celso é um amigo, a quem admiro e quero muito. Escrevo no presente mesmo e não no pretérito, pois Celso conseguiu fazer o que os grandes empresários sonham e poucos conseguem, construir uma empresa que o perpetua. Com a combinação certa de profissionalização e família, com foco em resultado e visão estratégica de longo prazo. Há anos digo que no mundo do vinho brasileiro só duas importadoras estavam prontas para o processo sucessório, o grupo World Wine/La Pastina é uma delas. 

Como confirmação desta visão, tenho certeza de que Celso está feliz sabendo que enquanto lutava contra a enfermidade, sua equipe batia duas vezes, sucessivamente, os recordes de faturamento de 73 anos. 

Obviamente não houve comemoração do feito, mas estou certo de que Celso sabe e pode descansar orgulhoso e tranquilo.

 

Christian Burgos

Publicado em 20 de Agosto de 2020 às 12:14


Notícias