Vinhedos de Ontário escapam de desastre

Inverno rigoroso afetou diversas áreas do Canadá e produção pode cair em até 50%


As vinhas da região de Ontário, no Canadá, sofreram com o inverno rigoroso do ano passado, o mesmo que atingiu as terras vinícolas de Finger Lakes, nos Estados Unidos. De acordo com o professor da Brock University, Kevin Ker, as vinhas canadenses podem ter até 50% de queda na produção deste ano. 

Divulgação

Por conta do inverno, não há cultura de Merlot

Ker é um consultor da indústria de vinho e tem como área de pesquisa o rigor do inverno e suas consequências às videiras. Embora os exames de campo não estejam concluídos até o final de junho, ele esperava que os rendimentos para a safra 2014 tivessem um prejuízo médio de 25 a 50%.

O enólogo da Tawse Winery, em Hamilton, Ontário, Paul Pender, por exemplo, teve sua produção prejudicada. “Não há Merlot. Não houve colheita. Esse é o pior resultado para nós”, afirmou ele.

Porém, Pender se vê satisfeito quanto à cultura Cabernet Franc, Pinot Noir e Riesling e prevê uma queda de 35% este ano. “Nós não estamos diante de um desastre total. Eu não acho que fui atingido tão severamente quanto a região de Finger Lakes” ressaltou.

Os comentários de Pender foram muito semelhantes aos de Debbie Zimmerman, o chefe dos viticultores de Ontário, uma organização que representa mais de 500 proprietários da região. Para ele, a situação que os produtores canadenses enfrentam não está tão ruim quanto à de Finger Lakes. “Devido às nossas práticas de tecnologia e de poda, estamos indo bem até o momento”, informou.

Para o vice-presidente de vinificação e viticultura, Keith Brown, contudo, há outros problemas além do inverno e das geadas de primavera, que são a falta de recursos após as chuvas nessa época do ano. “O mau amadurecimento devido à falta de sol, problemas com pragas, prejudicam as videiras”, disse.

Da redação

Publicado em 9 de Junho de 2014 às 10:08


Notícias Brock University Kevin Ker Tawse Winery Paul Pender