Vinícolas do mundo

Catena Zapata, a vinícola que colocou os vinhos argentinos no mapa do mundo

Com seu primeiro pé de Malbec plantado em 1902, Catena Zapata vem safra após safra mostrando o grande terroir de Mendoza


Vinhedo Adrianna, em Gualtallary. Uma das zonas mais frescas de Mendoza com mais de 1.500 metros de altitude

O fato de a Malbec ser a grande marca dos vinhos da Argentina deve-se em parte ao trabalho de Nicolás Catena, que nos anos 1990 optou seriamente por essa variedade e sua internacionalização.

O proprietário de Catena Zapata vem de uma tradição que começou em 1902, quando seu avô Nicola Catena plantou um vinhedo de Malbec, e continuou com seu pai, Domingo Catena, responsável por fazer da vinícola uma das mais importantes produtoras do país. Nicolás Catena finalmente consagrou-a como uma marca orientada para a qualidade, sendo pioneira não apenas em resgatar a Malbec, mas também em apostar em vinhedos de altitude.

Vinhedo da Catena Zapata durante o inverno

A história recente da vinícola tem sido marcada pelo trabalho da equipe enológica liderada por Alejandro Vigil, que se dedicou a estudar em profundidade os diferentes terroirs de Mendoza, produzindo vinhos que comprovam a hierarquia da Malbec e também as diferentes faces que sua origem é capaz de mostrar.

Os vinhedos da Catena Zapata com os Andes ao fundo

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 16 de Setembro de 2020 às 20:00


Enoturismo catena zapata malbec vinho argentino