MundoVino

Novo sistema na classificação de Cru Bourgeois

A associação dos Cru Bourgeois du Médoc confirmou que haverá três níveis de qualidade em 2020


Tão logo anunciou seus selecionados da safra 2016, a associação dos Crus Bourgeois du Médoc apresentou seus procedimentos para o novo sistema de classificação Crus Bourgeois que entrará em vigor a partir de 2020.

A nova classificação representará um retorno ao sistema hierárquico original, compreendendo três níveis de qualidade: Cru Bourgeois, Cru Bourgeois Supérieur e Cru Bourgeois Exceptionnel. Ele será revisado a cada cinco anos, o que significa que as propriedades podem subir e descer na classificação.

“Estamos muito felizes com o novo processo. Aprendemos muito com o passado e confiamos que isso beneficiará os châteaux, o comércio e os consumidores. Mais importante ainda, a nova classificação mantém a qualidade e a origem do Crus Bourgeois du Médoc. É o resultado de cinco anos de trabalho de consulta com todos os membros do Crus Bourgeois e do governo”, afirmou Frédérique de Lamothe, diretor da associação.

Em 2003, o sistema foi remodelado para abarcar 247 châteaux compostos por nove Crus Bourgeois Exceptionnels, 87 Crus Bourgeois Superieurs e 151 Crus Bourgeois. No entanto, a classificação foi posta em xeque em 2007, após uma série de liminares de propriedades que não haviam sido incluídas. Três anos depois, em 2010, a associação criou novo procedimento de garantia de qualidade, em que todos os vinhos Cru Bourgeois aprovados eram selecionados em degustações às cegas por um painel de especialistas. Foi publicada uma primeira seleção oficial com base na safra de 2008, e isso tem sido feito todos os anos desde então.

A nova classificação será baseada em um processo de verificação de qualidade realizado por um corpo independente de especialistas. Este organismo avaliará às cegas os vinhos em degustação de várias safras de cada château. Também levará em consideração outros fatores (agrícolas, ambientais e técnicos) e visitas ao local.

Para a classificação de 2020, os candidatos podem apresentar uma seleção de cinco safras de 2008 a 2016. A classificação de 2025 incluirá safras de 2017 a 2021. Para os níveis mais altos, os avaliadores buscarão qualidade, consistência e capacidade de envelhecimento.

Os primeiros rótulos a apresentar a nova classificação serão da safra 2018. Resta saber quantas propriedades serão definidas entre os diferentes níveis de qualidade. Os candidatos tinham até o dia 30 de setembro para enviar suas solicitações. O procedimento está aberto às denominações: Médoc, Haut-Médoc, Listrac-Médoc, Moulis em Médoc, Margaux, St-Julien, Pauillac e St-Estèphe.

Da redação

Publicado em 7 de Dezembro de 2018 às 17:00


Notícias Classificação Cru Bourgeios Melhores safras de vinho

Artigo publicado nesta revista

CHÂTEAU MARGAUX

Revista ADEGA 157 · Novembro/2018 · CHÂTEAU MARGAUX

VERTICAL DE 11 GRANDES SAFRAS + A ELEGÂNCIA E A LONGEVIDADE EXPLICADAS POR AURÉLIEN VALANCE