Vinícolas do mundo

Com vinhedo partido na Revolução Francesa, Château Léoville Las Cases brilha em Saint-Julien


 

Domaine de Léoville pertencia a algumas famílias francesas nobres ricas e influentes antes de ser adquirida pela família Las Cases e dividida em três châteaux

Até a Revolução Francesa, o que existia era apenas o Château Léoville, em Saint-Julien. Após o levante popular, a propriedade da família Las Cases foi dividida, dando origem aos Châteaux Léoville Las Cases (a porção central, que representa cerca de 60% da área), Léoville-Poyferré e Léoville-Barton.

 

LEIA MAIS

» Clos Apalta ganha independência ao estilo de Bordeaux em 45 hectares no Chile

» Champagne Lanson tem vinhedo murado que é o único remanescente na cidade de Reims

 

A vinha Clos du Marquis fica a oeste do famoso recinto Léoville Las Cases, em região composta de cascalho quaternário mais antigo e mais fino do que outras áreas da propriedade

Em 1855, quando da Classificação de Bordeaux, os vinhos dos três locais foram apontados como Deuxième Cru. Depois de gerações nas mãos dos Las Cases, atualmente o Château é de Jean-Hubert Delon, que possui ainda os Châteaux Potensac e Nénin.

A principal porção de seu vinhedo, chamada de Grand Clos, faz divisa com os vinhedos de Latour, em Pauillac. Essa parcela de 55 hectares (dos 98 totais da propriedade) é famosa por ser toda murada e ter um leão em seu pórtico de entrada.

 

O Châteaux Léoville Las Cases fica próximo ao Rio Gironde, que ao passar do anos criou uma grande diversidade de solos pela região, além de ajudar no amadurecimento precoce das uvas e protegê-las de geadas

 

» Para ver os melhores vinhos avaliados da Château Léoville Las Cases, clique aqui 

 

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 25 de Julho de 2020 às 12:00


Notícias