Vinícolas do mundo

Cortes de Cima e o vinho que nasce Incógnito como pioneiro da Syrah no Alentejo


 

A grande diversidade de terroirs das vinhas de Cortes de Cima varia entre argila castanha mediterrânica sobre calcário, micaxisto, granito rico em quartzo e cascalho bem graduado

O projeto Cortes de Cima iniciou quando o casal Hans e Carrie Jorgensen chegou a Portugal, em 1988. Nessa época, a Vidigueira era conhecida como uma região de uvas brancas, porém, a dupla identificou no local um bom potencial para a casta Syrah, na época em que a variedade não era aprovada pelas regras de Denominação de Origem.

LEIA MAIS

» Angelo Salton e a vinícola que se torna a maior produtora de espumantes no Brasil

» Fundação Eugênio de Almeida vai dos tempos do Marquês de Pombal às 4 milhões de garrafas por ano

 

Na Cortes de Cima, todas as frutas são seleccionadas na vinha antes de irem para a adega, lá elas passam por uma avaliação para assegurar que apenas as melhores frutas produzam os vinhos

Assim nasceu o Incógnito, em 1998, um vinho 100% Syrah. Atualmente, o Cortes de Cima produz vinhos de duas zonas do Alentejo, em Vidigueira (com nove uvas tintas e duas brancas) e em Vila Nova de Milfontes (com duas tintas e quatro castas brancas), próximo à costa.

» Para ver os melhores vinhos avaliados da Cortes de Cima, clique aqui 

 

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 11 de Julho de 2020 às 15:00


Notícias