Espanha assina acordo para impedir fraude com seus vinhos na China

Exportações têm aumentado e espanhóis temem falsificações


Vinhedos no Priorato

Espanha quer impedir uso indevido do nome de suas denominações de origem

Na semana passada, a ministra de agricultura espanhola, Isabel Garcia Tejerina, assinou um memorando de entendimento com a China para aumentar a cooperação entre os países e prevenir as fraudes, especialmente as relacionadas à exportação de vinho.

O principal objetivo é aumentar as exportações de vinhos espanhóis para a China. Atualmente, a Espanha é o quarto maior fornecedor de vinhos para o mercado chinês. Mais de mil vinícolas exportaram vinhos no valor de 87.500.000 euros para a China em 2012, um aumento de 22% em relação ao ano anterior. O volume de comércio é o que as autoridades espanholas estão ansiosas para proteger e expandir. O memorando de entendimento assinado em Pequim, na semana passada, inclui uma cláusula que visa desenvolver um sistema de comunicação digital para verificar os certificados de origem e evitar fraudes. Disposições também foram feitas para otimizar os sistemas de rastreamento e proteção efetiva das indicações geográficas e denominações espanholas.

Ao longo do primeiro semestre do ano, as exportações espanholas de vinho para a China totalizaram 44.900.000 euros, um aumento de 12%. As autoridades espanholas estão fazendo lobby junto ao governo chinês para acabar com a ameaça de aumento de impostos sobre vinhos importados da Europa em retaliação sobre a posição da Europa em importações chinesas de painéis solares para a União Europeia.

Da redação

Publicado em 25 de Setembro de 2013 às 12:06


Notícias espanha china fraude denominações exportações