O mundo da feira

A Expovinis atrai os olhares (e paladares) de muita gente, sejam produtores, importadores, sommeliers, enólogos, enófilos


Quem participa pela primeira vez da Expovinis e chega cedo, perto do horário de abertura (às 14h), tem a impressão errada de que esta feira é voltada exclusivamente para pessoas do setor. Os estandes estão sendo montados. São poucas as pessoas andando pelos corredores. O clima é tranquilo, calmo.

No entanto, a paisagem rapidamente começa a mudar. Em pouco tempo, os corredores estão tomados. Dentro dos estandes, pessoas se aglomeram para degustar os vinhos que são apresentados. Descobertas e negócios são feitos, encontros casuais ou pré-agendados se concretizam, o mundo do vinho se desvenda na maior feira da América Latina.

Ao fim dos três dias (5, 6 e 7 de maio), mais de 16.500 pessoas – desde expositores (cerca de 250) até apenas curiosos – passaram pelo Transamerica Expo Center, em São Paulo. O número de novidades também foi enorme tanto na questão dos vinhos quanto das pessoas que foram à feira.

Para conhecer e degustar

Uma infinidade de gente de todas as idades (acima de 18 anos) e profissões passaram pela Expovinis, e cada um podia até ter seu gosto, mas todos buscavam algo em comum: ter uma experiência nova no vasto mundo do vinho que se apresentava diante deles.

Os comissários de bordo, Marcelo Lopes, 24 anos, e Lidiane Machado, 25, estavam na feira pela primeira vez e queriam expandir seus conhecimentos no assunto. “Minha profissão já exige um conhecimento um pouco mais apurado. Servimos vinho dentro do avião, então devemos ter um conhecimento maior. Estou aqui justamente para aprimorar o conhecimento e também provar alguns vinhos, porque tem muita coisa boa”, disse Marcelo.

“Em vôos internacionais, sempre são servidos vinhos. Então, você tem que conhecer. Às vezes, o passageiro pergunta, às vezes, não está nem aí, toma e não sabe nem que safra é, qual a procedência. Mas, sempre vai ter aquele que vai querer instigar para saber se você sabe o que está oferecendo”, afirmou Lidiane.

A administradora de empresas, Renata Pereira, 27, também admitir ter sido movida pelas novidades da feira. “Vim para conhecer as tendências e novidades do mercado, o que ele tem para oferecer”, revelou, sem medo de provar o que lhe agradava.

Fotos: Natália Araujo

#Q#
De todos os lugares

Logo na entrada, um enorme estande da Vinhos do Brasil apresentava e reverenciava os produtores nacionais, que ainda tinham representantes em espaços separados sozinhos – como a Casa Valduga, Miolo, Lidio Carraro, Pizzato, Mitto, Vinha Solo, Domno -–, e reunidos em conjunto, como os produtores de Santa Catarina no estande da ACAVITIS.

Grandes importadoras como Interfood, Decanter, D’Olivino, Cantu, Qualimpor, VCT (Viña Concha y Toro), Costazzurra, Hannover, entre outras, também ofereciam diversos rótulos para apreciação em seus concorridos espaços.

Grupos de produtores estrangeiros também marcaram presença na Expovinis 2009, como vinícolas da Alemanha (Weinexportkontor Baden Wurttemberg), da Espanha (da região de Castilla La Mancha), Estados Unidos, Argentina (Pro Mendoza), Itália, África do Sul, Portugal (com a Associação Empresarial de Portugal, CVR Lisboa, FENADEGAS, Vinhos da Madeira).

Ano da França no Brasil

Como não poderia faltar no “Ano da França no Brasil”, os franceses estiveram bem representados na feira, especialmente com um grande estande organizado pela Embaixada do país europeu, que reuniu 28 empresas com produtores de Bordeaux, Borgonha, Champagne etc. Para completar, um conjunto de vitivinicultores do Vins de Provence também expôs por lá.

Mais que só vinho

O evento em São Paulo, além da Expovinis, congrega ainda a Brasil Cachaça e a Epicure. Com mais de 40 mil produtores nacionais e cerca de 4 mil marcas de aguardente de cana-deaçúcar, a feira internacional da cachaça chegou à sua sexta edição e serve para consolidar a imagem do destilado. A Epicure, por sua vez, trouxe diversos players do segmento de tabaco, presentes finos e artigos de luxo; um mercado que movimenta US$ 4 bilhões por ano só no Brasil.

Então, além de degustar bons vinhos, os participantes puderam desfrutar, por exemplo, de charutos e aguardentes de alta estirpe de alguns dos melhores produtores do País e do mundo.

Top 10 Expovinis

Todo ano jurados avaliam, às cegas, os vinhos apresentados pelos produtores e importadores na Expovinis e premiam os mais bem avaliados em suas categorias. Confira a lista:

Espumante Nacional
Casa Valduga Gran Reserva Extra Brut 2002
Produtor: Casa Valduga
Origem: Vale dos Vinhedos – RS / Brasil

Espumante Importado
Champagne Pehu Simonet Brut Selection
Grand Cru
Produtor: Pehu Simonet
Origem: Champagne – França

Vinho Branco Sauvignon Blanc
Ventisquero Queulat Gran Reserva 2008
Produtor: Ventisquero
Origem: Valle de Casablanca – Chile

Vinho Branco Chardonnay
Morandé Terrarum Reserva 2007
Produtor: Morandé
Origem: Valle de Casablanca – Chile

Vinho Branco de outras castas
Josmeyer Les Pierrets Rieling 2001
Produtor: Josmeyer & Fils
Origem: Alsácia – França

Rosado
Cascai 2008
Produtor: Château Ferry Lacombe
Origem: Provence – França

Vinho Tinto Nacional
Salton Talento 2005
Produtor: Salton
Origem: Tuiuty – RS / Brasil
(confira a avaliação de ADEGA na seção Cave na página 72).

Vinho Tinto do Novo Mundo
Las Perdices Tinamú 2006
Produtor: Viña Las Perdices
Origem: Mendoza – Argentina

Doce / Fortificado
Justino’s Madeira 10 anos
Produtor: Justinos Henriques
Origem: Ilha da Madeira – Portugal

Vinho Tinto do Velho Mundo
Vinha Longa Reserva 2006
Produtor: Encostas de Estremoz Origem: Alentejo – Portugal

Da redação

Publicado em 25 de Maio de 2009 às 14:36


Enobusiness

Artigo publicado nesta revista