Prosecco com uvas 'fora da lei'

Comitê libera uso de uvas Glera que não fazem parte da denominação


Os produtores da denominação de origem Prosecco ganharam um alívio: o consórcio que rege a DOC, diante de todos os problemas climáticos que afetaram os vinhedos em 2017 e certamente diminuirão os rendimentos das vinícolas, autorizou o uso de uvas Glera de vinhedos de dentro da região, mas que originalmente não fazem parte da denominação.



“Essa decisão foi discutida desde março ou abril. Já havia preocupação com uma escassez potencial”, afirmou Enore Ceolar, da Mionetto. Desde 2011, a área de produção de Prosecco foi definida e nem todos os vinhedos, apesar de apresentarem níveis qualitativos,
foram incluídos.

O limite foi estabelecido para evitar uma super oferta e manter os preços equilibrados. Anualmente, o consórcio analisa e ajusta esses limites. Sabedores da escassez deste ano, os
produtores não querem que os vinhos aumentem demasiadamente de preço para que não haja queda no consumo. 

Da redação

Publicado em 31 de Janeiro de 2018 às 12:52


Notícias

Artigo publicado nesta revista