Ideias do vinho

Vinho e comfort food

O sommelier Felipe C. Cesca conta a relação da comida simples e um bom vinho


[Colocar Alt]

A cada dia que passa as pessoas estão mais tempo online e ao mesmo tempo mais afastadas fisicamente de outras pessoas ou mesmo da sua terra natal. Esses momentos de privação ou solitários permitem a criação de link nostálgico, e aquele cheirinho de comida que acaba de sair do fogo pode permitir uma viagem psicológica e emocional pelas lembranças da infância, assim chegamos à Comfort Food. Essa nova tendência, que de nova só tem o nome, segue através das comidas simples, tradicionais e afetivas, como o bolinho de chuva nos dias nublados, a macarronada em família aos domingos ou a gelatina colorida servida na escola

Esses pratos são ricos em sabor, elaborados artesanalmente, cheios de lembranças e acima de tudo podem ter muito açúcar, tempero, carboidratos e proteína. Por que não fazer disso uma boa amizade com vinho? A base dessa alimentação de toque simples também pode ser harmonizada.

Os pratos repletos de carboidrato, como a lasanha à Bolonhesa da Vó, marcada por temperos fortes, molho intenso, um toque de gordura e carinho, pede vinhos com estrutura, taninos marcantes e boa acidez. Assim, lembre-se de na próxima visita a sua vó levar um Malbec argentino, um Cabernet Sauvignon americano ou mesmo um bom Bordeaux.

Já os pratos ricos de proteína, como a famosa carne de panela, com seu sabor intenso, temperos fortes, bastante gordura e aquele sabor inigualável, pede vinhos potentes, com bastante tanino e aromas marcantes de uma passagem em carvalho, aqui é o lugar ideal para um bom Tannat uruguaio, um Syrah chileno ou um Crianza espanhol.

Já aos adeptos aos doces, que não esperam a hora da sobremesa, querendo um manjar, bolo de cenoura com cobertura de chocolate, pudim de leite, ou mesmo o rei das piadinhas, o “pavê”, hoje podem se alegrar, que não precisam mais ficar no “suco de vinho”, mas podem exaltar os sabores com vinhos de boa acidez, aroma intenso, geléias e acima de tudo uma grande doçura. Este é o local ideal para algumas jóias como o Sauternes, o Vin Santo, o Late Harvest e um bom Vinho do Porto.

Felipe C. Cesca é Sommelier da Cantu Importadora.

Leia também o artigo "A cada momento seu vinho?" da sommelier  Amandine Castillon.

Da redação

Publicado em 27 de Fevereiro de 2019 às 15:00


Notícias Felipe C. CESCA