Atleta e enófilo

Entre um treino e outro, Fernando Scherer curte a paixão pelos vinhos


Satiro Sodré/CBDA/divulgação
O nadador Xuxa é um apixonado pelos rosés

É difícil associar a imagem de uma bela taça de vinho com esportes aquáticos. Normalmente, a bebida de Baco está associada a atividades como o golfe, onde os praticantes degustam uma taça entre uma tacada e outra. No entanto, um de nossos maiores esportistas comprova que é possível ser nadador e enófilo. O esportista Fernando Scherer, nacionalmente conhecido como “Xuxa”, além de ser um ás das piscinas, também é apreciador de bons vinhos.

#R#

O atleta conta que sempre gostou da bebida, mas foi há aproximadamente seis anos, após conhecer o proprietário de uma importadora de São Paulo, que ele se interessou pelo vinho de forma mais sistemática. “Fui a uma confraria de vinhos e, a partir daí, me apaixonei e comecei a pesquisar por conta própria”, conta Scherer.

Em casa, ele possui uma adega com capacidade para cerca de 90 garrafas, sempre abastecida com rótulos de diversos países. Para o dia-a-dia, Scherer escolhe vinhos da América do Sul, sobretudo os chilenos e os argentinos. As preciosidades que ele guarda são para ocasiões especiais. “Tenho um 'Dominus 96' e alguns vinhos do Porto”, confessa. Entre as raridades guardadas, ele também destaca o “Champagne Dom Pérignon”, safras 1992, 1995 e 1996, e o “Champagne Cristal Brut”, safras 1993 e 1997.

Como já participou de diversas competições internacionais, ele abasteceu a adega com algumas garrafas trazidas na bagagem. Mas como há um número estipulado por alfândegas e free shops, ele sempre trouxe, no máximo, duas garrafas. “Prefiro comprar vinho no exterior, mas como não posso trazer muitos, acabo comprando nas importadoras daqui”. Porém, para ele, a vantagem de se comprar a bebida na Europa é poder adquirir rótulos prestigiados a um custo bem menor.

Os tintos estão em primeiro lugar na sua preferência. Não curte os brancos, mas é um apaixonado pelos rosés. “Adoro tomar vinho rosé em ocasiões mais quentes, preferencialmente bem gelado. Entre tomar um vinho branco e um rosé, sempre opto pelo segundo”, revela. Os espumantes também estão entre seus estilos preferidos.

Entre um intervalo e outro de sua vida profissional, Scherer sempre arruma tempo para o vinho e participa de várias degustações como convidado. Uma prova de que é possível ser um atleta dedicado sem abrir mão da bebida. Um brinde à água e outro ao vinho!

Fernando Roveri

Publicado em 12 de Março de 2007 às 05:44


Minha adega

Artigo publicado nesta revista