Revista ADEGA
Busca

Chile busca mercado de espumantes de método tradicional

Quatro grandes produtores chilenos já estão fazendo espumantes de método tradicional


Subercaseaux

Quatro dos grandes produtores chilenos, Errazuriz, Cono Sur, Concha y Toro e Montes, estão mirando o mercado internacional de espumantes feitos pelo método tradicional, que hoje é dominado pelas Cava e Champagne.

A Concha y Toro lançou o Subercaseaux, feito por Marcelo Papa com Pinot Noir e Chardonnay de Limarí. Já a Cono Sur usou uvas Chardonnay de Casablanca para seu espumante, que será envelhecido por dois anos antes de chegar ao mercado, em 2015.

Aurelio Montes, por sua vez, escolheu uvas Pinot Noir e Chardonnay de Aconcágua. Seu espumante deve chegar ao mercado inglês durante o Natal deste ano. Ele pretende guardar mil das 18 mil garrafas feitas de seu primeiro vintage por pelos menos mais quatro anos. “As vendas de espumantes estão ótimas no mundo todo; é hora do Chile fazer parte dessa festa”, diz Montes, que completa: “2013 foi um bom ano para espumantes no Chile, pois foi mais frio que o normal e nós colhemos tardiamente”.

O enólogo de Errazuriz, Francisco Baettig também selecionou o Pinot Noir e o Chardonnay de Aconcágua para seu vinho, devido à mineralidade da região. Ele acha arriscado se aventurar no mundo do espumante e diz que, caso o vinho não chegue à qualidade necessária, não será lançado. “O problema quando você começa um projeto de espumantes é que não tem vinhos de reserva que são úteis para dar a complexidade final ao blend”, conta.

Nos últimos cinco anos, as exportações globais de espumantes chilenos aumentaram 175% em volume e 195% em valor. As informações são do site The Drinks Business.

Redação
Publicado em 17/09/2013, às 14h30


Mais Notícias