Estudo centenário diz que vinho só perde para investimento em ações

Pesquisadores analisaram variações de preços durante 112 anos e viram que valeu mais a pena investir em vinhos do que títulos do governo


vinho e dinheiro

Retorno do vinho é de 4,1% ao ano

De acordo com um estudo da American Association of Wine Economists (AAWE), o investimento em vinho fino rendeu mais do que títulos do governo e obras de arte durante os últimos 100 anos, porém, foi menos rentável do que as ações.

Entre 1900 e 2012, os vinhos Premier Cru de Bordeaux conseguiram uma rentabilidade anual de 5,3%. Levando em consideração seguro e custos de estocagem, o retorno seria de 4,1%. Nada mal.

No entanto, o relatório diz que ações, com 5,2%, foram melhor investimento no último século. Ele revela ainda que a baixa rentabilidade no mercado de ações e os altos preços dos vinhos nos últimos anos serviram para diminuir a diferença entre esses dois investimentos.

O estudo foi conduzido por pesquisadores da London Business School, Vanderbilt University em Nashville, e HEC Paris. Eles examinaram o impacto do envelhecimento no preço dos vinhos e a performance do vinho como investimento de longo prazo baseado nos Premier Cru de Bordeaux. Focando-se em safras desde 1855, ele coletaram dados históricos da Christie’s e da Berry Bros. & Rudd, a loja mais antiga de Londres.

Com 36.721 preços anotados, ele analisaram o desempenho dos vinhos de 1900 a 2012 e descobriram que as melhores safras encareciam fortemente durante poucas décadas, mas os preços se estabilizavam até que os vinhos se tornassem antiguidades e voltassem a subir.

Estima-se que um quarto dos indivíduos ditos high-net-worth (que possuem investimentos que excedem US$ 1 milhão) no mundo hoje tenham coleções de vinhos, que representam 2% de suas riquezas.

Da redação

Publicado em 24 de Setembro de 2013 às 09:09


Notícias vinho investimento ações retorno 100 anos