PUBLIEDITORIAL

A história da Tannat no Uruguai

Imigrante basco esteve na origem do sucesso da cepa em terras uruguaias


 

Casta francesa é a que ganhou maior notoriedade no Uruguai

O vinho chegou ao Uruguai na segunda metade do século XIX, de mãos dadas com famílias de imigrantes que trouxeram seus conhecimentos do Mediterrâneo. Por volta de 1870, duas vinhas foram estabelecidas em solo uruguaio: a do basco francês Pascual Harriague em San Antonio Chico (Salto), e a fazenda do catalão Francisco Vidiella em Colón (Montevidéu).

Em 1878, Vidiella já havia adaptado a primeira variedade de videira, de origem europeia, ao clima do Uruguai. Em pouco tempo, Harriague fez a mesma coisa com uma variedade que importou de Concordia.

A Tannat é uma cepa originária das áreas de Madiran e Irouleguy (no sudoeste da França), mas entrou no Uruguai no último quarto do século XIX, quando imigrantes começaram a cultivá-la. Foi o basco Pascual Harriague que deu a essa variedade seu grande impulso.

Esse empresário, nascido em 1819, chegou ao Uruguai em 1840 e, após várias atividades pecuárias no país, se estabeleceu na cidade de Salto. Por volta de 1870, depois de alguns anos fazendo testes com diversas variedades de uva, ele encontrou as condições para produzir um ótimo vinho tinto com uvas Tannat. Ele apresentou esses vinhos em 1887, que receberam elogios e prêmios internacionais nas exposições mundiais de Barcelona e Paris em 1888 e 1889 Hoje já são quatro gerações de viticultores uruguaios que continuam o legado de Pascual.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 4 de Dezembro de 2020 às 14:30


Notícias Uruguai Tannat Vinho