Escola do Vinho

Manteiga na taça? Saiba como ocorre o fenômeno famoso em vinhos como o Chardonnay


 O armazenameto em barris de carvalho é um dos fatores que contribuem para realçar a sensação de manteiga do Chardonnay e 'arredondar' o vinho

Manteiga no vinho? Sim, falamos em aromas, sabores e 'textura', sensação de boca quando descrevemos, ou lemos a respeito de um vinho 'amanteigado'. Não há melhor exemplo do que o Chardonnay, embora não seja ele o único quando analisamos um fenômeno que pode estar relacionado à casta, a vinificação e o tratamento do vinho na adega.

A fermentação é um primeiro ponto a se considerar, que gera subprodutos como o diacetil, muito conhecido também no mundo cervejeiro e aceitável em certos estilos da bebida feita de cereais maltados, assim como ocorre na esfera do vinho.

 

LEIA MAIS

» Gosta de Chardonnay? Há outras cepas que você vai adorar

» Como escolher uma taça de vinho?

 

O diacetil geral aroma e sabores relacionados à manteiga, assim como o mel e o caramelo, muito associado no olfato às pipocas para fornos de micro-ondas, que contém a substância em suas fórmulas.

Na produção do vinho, a incentivada fermentação malolática vai gerar produção adicional de diacetil, no momento em que o ácido málico da bebida é convertido em ácido lático, suavizando e deixando o vinho mais 'cremoso'.

 

A fermentação do vinho é um ponto importante a se considerar, pois ela gera subprodutos como o diacetil, que leva aromas amanteigados à bebida

Em seguida temos o armazenamento em barris novos de carvalho, que em casos como o dos Chardonnays vai enfatizar a sensação amanteigada e 'arredondar' o vinho.

Portanto, mais uma vez quando se fala em nossa bebida preferida, vai depender do paladar e do gosto de cada um a opção por vinhos com mais 'manteiga', ou mais ácidos e leves na boca. 

 

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui 

Da redação

Publicado em 3 de Julho de 2020 às 15:00


Notícias