Revista ADEGA
Busca

Terra em colapso sísmico

Os Açores além dos 1800 terremotos diários

Os vulcões são parte do horizonte e do terroir do arquipélago português


Ilhas portuguesas do Açores possuem três denominações de origem para vinhos
Ilhas portuguesas do Açores possuem três denominações de origem para vinhos

Os Açores são um arquipélago de nove ilhas pertencentes a Portugal situadas quase que literalmente no meio do oceano Atlântico. São cerca de 1.500 quilômetros de mar que separam as ilhas do continente europeu.

Açores está na mesma latitude de Lisboa e possui uma paisagem muito verde, com picos vulcânicos de sua formação ancestral. Sua viticultura é tão peculiar que a área de cultivo na ilha do Pico foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO. 

A maioria dos vinhedos de Açores são plantados dentro de currais, em pequenos quadrados emparedados por pedras de rocha vulcânica preta. As videiras são cultivadas em buracos e suas raízes se aprofundam entre as fendas das rochas. As paredes as protegem dos ventos do Atlântico e do excesso de sal. 

As videiras começaram a ser plantadas no arquipélago desde o início do século 16, na época das navegações, quando as ilhas serviam de escala para os navios em seu caminho para o Novo Mundo. Por volta do século 18, os vinhos doces e fortificados se tornaram famosos. 

Os Açores além dos 1800 terremotos diários
Vinhedos nos Açores emparadados contra os ventos do Atlântico e o excesso de sal

Atualmente, três ilhas produzem vinho e lá estão três denominações de origem. A DOC Graciosa, que cobre grande parte da ilha da Graciosa, com vinhos brancos vinificados na cooperativa local. As outras duas são para fortificados com a DOC Pico e a DOC Biscoitos, de vinhos feitos nas áreas costeiras da ilha do Pico e na região dos Biscoitos, uma pequena área no norte da ilha Terceira. Há ainda os IGP Açores, cuja maioria dos vinhos são brancos frescos. Existem também os ditos Vinhos de Cheiro, produzidos por castas híbridas.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui

André De Fraia
Publicado em 23/03/2022, às 15h00 - Atualizado às 16h00


Mais Mundovino