Qual a cor?

Pesquisa mostra que estilos diferentes de vinho têm benefícios diferentes à saúde

Vinho, tinto ou branco, é melhor para sua saúde do que cerveja ou destilados, mas sua escolha pode beneficiá-lo de maneiras diferentes

Diferentes estilos de vinho possuem benefícios diferentes ao organismo
Diferentes estilos de vinho possuem benefícios diferentes ao organismo

por André De Fraia

Pesquisadores da Iowa State University descobriram que o consumo de vinho não leva ao acúmulo de gordura visceral, tipo de gordura que, diferente da subcutânea que se acumula sob a pele, envolve os órgãos internos, tornando-a mais prejudicial e difícil de se livrar.

A mesma pesquisa concluiu, no entanto, que beber cerveja ou destilados leva a níveis mais altos de gordura visceral, o que pode aumentar o risco de doenças cardíacas e outros problemas de saúde.

Porém, e talvez o mais interessante, é que diferentes estilos de vinho possuem benefícios diferentes ao organismo.

O consumo de vinho tinto em participantes adultos mostrou um potencial para reduzir a gordura visceral, com dois efeitos, a redução da inflamação causada pelo acúmulo de gordura e pelo aumento das lipoproteínas – proteínas do colesterol bom.

Pesquisa mostra que estilos diferentes de vinho têm benefícios diferentes à saúde
Enquanto o vinho tinto diminui a gordura visceral, o vinho branco aumenta a densidade óssea

Já o vinho branco está ligado a um benefício diferente para a saúde – maior densidade óssea.

“Encontramos maior densidade mineral óssea entre adultos mais velhos que bebiam vinho branco com moderação em nosso estudo. E não encontramos essa mesma ligação entre o consumo de cerveja ou vinho tinto e a densidade mineral óssea”, escreve Brittany Larsen, candidata a PhD da Iowa State University e coautora do estudo, na publicação The Conversation.

Segundo a pesquisa, o envelhecimento é acompanhado por um aumento da gordura visceral que pode levar ao aumento do risco de doenças cardiovasculares e por uma redução na densidade mineral óssea. O estudo descobriu que o vinho tinto e branco pode ajudar a resolver esses dois problemas, com importantes implicações para a saúde da população.

“O álcool tem sido considerado um possível fator determinante para a epidemia de obesidade. No entanto, o público muitas vezes ouve informações conflitantes sobre os potenciais riscos e benefícios do álcool. Portanto, esperávamos ajudar a desvendar alguns desses fatores por meio de nossa pesquisa”, acrescentou Larsen.

Uma maneira pela qual os pesquisadores pretendem fazer isso é observando diferentes tipos de álcool e seus efeitos na saúde.

Larsen diz: “Grande parte da pesquisa anterior tratou tradicionalmente o álcool como uma entidade única, em vez de medir separadamente os efeitos da cerveja, cidra, vinho tinto, vinho branco, champanhe e destilados”.

Os pesquisadores pretendem continuar sua análise dos efeitos do álcool na saúde humana. O próximo passo é examinar como a dieta – incluindo o consumo de álcool – influencia as doenças do cérebro e a cognição em idosos com comprometimento cognitivo leve.

palavras chave

Notícias relacionadas