Revista ADEGA
Busca

Mundovino

Budoshu, o milenar rosado japonês, ressurge no mundo do vinho

Com boa acidez e aromas ligados a ervas frescas, ele é ótima companhia para a culinária japonesa


O budoshu é principalmente produzido com a uva Koshu

Quando pensamos em bebidas e Japão, o saquê com certeza é a primeira que vem à mente. Afinal, evidências mostram que no século 3 já havia produção do fermentado de arroz em terras nipônicas.

A produção de vinho teria surgido muito tempo depois, apenas no século 18 quando portugueses chegaram às ilhas japonesas trazendo consigo as uvas e iniciando a vinificação no país.

Porém, novos estudos revelam antigos contos, lendas e textos apócrifos japoneses que mostram que já no século 14, mais precisamente no ano de 1316, havia em torno de 20 hectares da uva Koshu plantados em solo japonês

A casta teve seu DNA desvendado e mostrou ser um cruzamento de uvas europeias com variedades asiáticas. Os pesquisadores acreditam que ela tenha surgido no Japão por volta do ano 1300 depois do contato com mercadores da Rota da Seda que teriam trazido uvas da região do Cáucaso – atual Geórgia, considerada o berço mundial do vinho.

A Koshu, uva que, segundo estudos, surgiu no Japão por volta do ano 1.300

Esse vinho japonês ficou conhecido como budoshu ou “licor de uva” e ainda é produzido no Japão. Porém não é tão bem visto pela maioria dos produtores que preferem amarrar sua origem enológica aos vinhos europeus mais “modernos” do século 18.

Até por isso o nome budoshu – licor de uva – é utilizado e para diferenciar de vinho que seria wain.

Os atuais pesquisadores acreditam que essa origem renegada seja um dos motivos porque os estudos na área não levam em conta essa antiga produção. Mas esse cenário começa a mudar.

Afinal, há um movimento global para vinhos mais naturais e o estilo budoshu sobrevive com uma vinificação muito próxima ao que era utilizado nos primórdios na própria Europa: vasilhames de barro e fermentação natural, sem controle de temperatura ou adição de leveduras.

O rosado budoshu harmoniza muito bem com a típica culinária japonesa

Segundo os produtores do budoshu, a bebida tem como características principais uma boa acidez e aromas ligados a ervas frescas. O vinho produzido é branco ou levemente rosado, apesar da uva Koshu ser tinta. Afinal, ela possui a casca bem fina – sua cor não chega nem a ser roxa e sim rosa claro –  e não possibilita a produção de vinhos tintos.

O budoshu é por excelência um incrível acompanhamento da culinária japonesa, acompanhando a leveza tradicional dos pratos e rebatendo o gosto umami tão presente na cozinha do Japão.

» 10 dicas que você precisa saber para subir um degrau no mundo do vinho

» Que taça escolher? Há um modelo para cada tipo de vinho

» Quanto custa um vinhedo nos terroirs mais falados da França?

Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui

André De Fraia
Publicado em 09/08/2021, às 19h00


Mais Mundovino