Revista ADEGA
Busca

Aragonez, Tinta Roriz, Tempranillo...

Uma casta com diversos nomes, esta é a Tempranillo

Tinta Roriz e Aragonez são um dos nomes mais conhecidos dessa casta


Tempranillo na Espanha, Tinta Roriz no Douro, Aragonez no Alentejo...
Tempranillo na Espanha, Tinta Roriz no Douro, Aragonez no Alentejo...

A Tempranillo, a mais famosa variedade da Espanha, possui diversos sinônimos. Em Portugal, por exemplo, ela pode ser chamada de Aragonez (ou Aragonês) no Alentejo e Tinta Roriz no Douro.

Na própria Espanha, ela pode receber o nome de Cencibel (Castilla-La Mancha), Chincillana (Extremadura), Tinta del País (Rioja), Tinta de Toro (Castilla-La Mancha), Tinto Fino (Madrid), Ull de Llebre (Albacete) etc.

As primeiras menções às uvas “Tempranillas” (de maturação antecipada) são do século XIII em Ribera del Duero, mas de forma bastante vaga. O primeiro sinônimo conhecido data de 1513, como Aragonés, uma variedade descrita como sendo de Castilla, Extremadura e Andaluzia. Ainda assim, como o nome deriva do reino de Aragão, não é possível determinar se ela foi anterior.

A primeira menção confiável à Tempranillo é de 1807. Apesar de ser uma cepa tipicamente ibérica, ela se espalhou pela França, especialmente no Languedoc, mas também é encontrada na Itália e outros países do mundo, inclusive no Brasil. 

 ADEGA separou três dicas de vinhos com essa casta. Um 100% Tempranillo, um blend com Tinta Roriz, e um corte em que a Aragonês é a estrela, confira abaixo:

CS Tempranillo 2019

CS Tempranillo 2019 - AD 90 pontos - Carlos Serres, Rioja, Espanha

Pelas mãos do pioneiro Carlos Serres nasce este Tempranillo, sem passagem por madeira, gostoso de beber e de harmonizar.

Loios Tinto 2019

Loios Tinto 2019 - AD 90 pontos - João Portugal Ramos, Alentejo, Portugal

Desembarcando no Alentejo nossa estrela muda de nome. Aqui ela é conhecida como Aragonez, no Loios 2019, vinho batizado em homenagem ao modo como eram chamados os monges ligados à produção de vinho no Alentejo, a Aragonez ganha a companhia principalmente da Trincadeira e outras castas alentejanas. Atenção com ele, por ser acessível e muito gostoso de beber, aparenta ser menos complexo do que realmente é

Quinta de La Rosa Tinto 2018

Quinta de La Rosa Tinto 2018 - AD 92 pontos - Quinta de la Rosa, Douro, Portugal

O enólogo da Quinta de La Rosa é o renomado Jorge Moreira, um dos principais nomes da geração que colocou os vinhos tranquilos do Douro, em especial os tintos, no mapa do mundo dos vinhos. 

Aqui no Douro estammos falando da Tinta Roriz, que nesse vinho ganha a companhia da Touriga Nacional e da Touriga Franca e passam 18 meses de estágio em barricas de carvalho francês.

Redação
Publicado em 06/07/2022, às 08h00


Mais Escola do vinho