Revista ADEGA
Busca

Preciosidades de 50 anos

Vinho velho achado em casa, tem valor? Ainda estão bons?

Se eu encontrar vinho antigo em casa? É uma preciosidade? Tem valor? Posso vender?


O vinho dentro delas pode até não valer a pena ser bebido, mas certamente é uma experiência interessante
O vinho dentro delas pode até não valer a pena ser bebido, mas certamente é uma experiência interessante
“Fui vasculhar um canto da casa do meu avô e descobri diversas garrafas de vinhos guardadas em um armário da cozinha. São garrafas da década de 1970. Elas têm valor hoje?”

Pergunta do leitor Hamilton Sobral

Ficamos entusiasmados ao nos depararmos com algumas garrafas de vinho perdidas nas adegas de parentes, mas nem sempre o que encontramos é uma “preciosidade”, pelo menos não no que diz respeito à qualidade da bebida. Certamente é algo precioso e histórico, mas para ter “valor” é preciso mais do que “tempo de guarda”.

A premissa de que “quanto mais velho, melhor o vinho” é, na verdade, uma falácia, pois nem todo vinho é feito para suportar anos de guarda. A maioria é, sim, produzida pensando em um consumo bastante rápido, de poucos anos. Isso não quer dizer que eles não possam suportar mais tempo. Contudo, a chance de a bebida se manter em um bom estado e ainda evoluir é muito raro depois de 50 anos.

Para que isso ocorra, primeiro deve-se averiguar se o vinho teoricamente tem estrutura para aguentar a passagem do tempo. Depois, é imprescindível verificar como se deu a conservação dessas garrafas. Elas ficaram largadas em um canto qualquer? Ou ficaram guardadas em um ambiente climatizado, com temperatura controlada (e baixa) e umidade razoável?

vinho-velho-achado-em-casa-tem-valor-ainda-estao-bons
As garrafas encontradas pelo nosso leitor

Se elas não foram armazenadas devidamente, mesmo que o vinho dentro delas possa ter potencial para evoluir, é muito pouco provável que, após décadas de “sofrimento”, a bebida ainda esteja palatável. Mesmo grandes vinhos precisam de cuidados para que possam vencer o tempo. Imagine então um vinho sem muitos predicados.

Ainda assim, não se desfaça das garrafas simplesmente. O vinho dentro delas pode até não valer a pena ser bebido, mas certamente é uma experiência interessante. Veja o estado geral, abra e, se o líquido não tiver um odor ruim, tipo avinagrado, quem sabe você pode até arriscar uma bebericada. Mas não espere nada maravilhoso. No mais, pode até guardar as garrafas vazias como objetos decorativos.

Redação
Publicado em 06/08/2022, às 06h30


Mais Escola do vinho