Mundovino

Vinícolas californianas usam corujas para afastar pragas e diminuir o uso de produtos tóxicos nos vinhedos

A espécie utilizada, coruja-das-torres, come até 3.400 roedores ao ano


Photo: Barn Owl Research, Humboldt State University

A coruja-das-torres, espécie utilizada nos vinhedos para combater pragas

Os produtores de Napa Valley na Califórnia têm uma nova arma contra roedores que atacam os vinhedos, corujas.

Mais especificamente a coruja-das-torres, uma espécie natural na região californiana, aliás a espécie está presente em todos os continentes com exceção da Antártida, que tem uma capacidade de caçar e devoras mais de 3.400 roedores por ano.

Essa iniciativa dos produtores em parceria com órgão locais como o Napa Green é 100% natural.

As corujas são incentivadas a ir até os vinhedos com a instalação de caixas que servem como ninhos e os roedores são parte da dieta das aves. Assim a intervenção por meio de agrotóxicos e pesticidas não é necessário.

Coruja-das-torres no lugar de agrotóxicos

As caixas-ninhos são utilizadas para convidar as corujas aos vinhedos

“Você pode literalmente colocar uma caixa de ninho de coruja de celeiro no local exato onde você acha que tem um problema com os pequenos mamíferos, e voilà! As corujas vão começar a usar essa área”, diz John C. Robinson, um ornitólogo local em entrevista à Bay Nature Magazine.

Apenas em Napa já são mais de 75 produtores e cerca de 300 caixas-ninhos instaladas nos vinhedos.

Os especialistas destacam ainda que a iniciativa além de natural, sustentável e amiga do meio ambiente, é mais barata do que uso de pesticidas ou a instalação de armadilhas.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

Assine ADEGA

André De Fraia

Publicado em 18 de Outubro de 2021 às 10:00


Mundovino Corujas Corujas-das-torres Sustentabilidade Meio ambiente Vinhedos Califórnia Agrotóxicos Pesticidas Roedores