Revista ADEGA
Busca

Mosaico com procissão dançante

Arqueólogos encontram obra do século I d.C. com seguidoras de Baco na França

Batizadas Pequena Pompeia, escavação no Alto Rhône revela casa quase intacta provavelmente de um rico comerciante de vinhos




Arqueólogos descobriram em um sítio romano descoberto no Alto Rhône - batizado Pequena Pompeia - um mosaico ilustrando seguidores de Baco. Os profissionais estão trabalhando no sítio arqueológico desde abril e já escavaram uma área excepcionalmente grande habitada por uma comunidade bastante próspera.
O achado foi saudado pelo Ministério da Cultura francês como a mais excepcional escavação em 40 ou 50 anos. Datada do século I d.C., acredita-se que a construção foi ocupada por 300 anos até que uma série de incêndios expulsasse seus habitantes. A camada resultante de cinzas, no entanto, bem como na famosa cidade de Pompeia, permitiu condições de alta preservação de edifícios, e especialmente dos mosaicos que os decoravam.

Delirantes 

Entre os mosaicos, o que mais impressiona, está localizado em uma casa apelidada de "A Casa Bacchanaliana". A arte ilustra uma procissão dançante de "maenads", as seguidoras do deus do vinho Baco. A tradução literal de maenads seria "delirantes" e descreve o estado frenético e extasiado em que a devoção dos seguidores de Baco os levava. 


Além dos suntuosos mosaicos, a casa tinha todos os confortos modernos de uma casa romana de luxo: balaustres, azulejos de mármore, um amplo jardim e um sistema de abastecimento de água. 
Está tudo tão bem preservado que o líder da equipe de escavação acredita que será possível recriar a casa quase que inteiramente. Os arqueólogos acreditam que o imóvel provavelmente pertencia a um rico comerciante e, tendo em conta o assunto do mosaico central, talvez sua área fosse o vinho. O mosaico será removido e espera-se que seja exibido no Museu de História galo-romana na França em 2019.

Maria Bolognese
Publicado em 28/08/2017, às 11h17 - Atualizado em 09/05/2019, às 15h24


Mais Notícias