Revista ADEGA
Busca

Até nas sobras

Estudo descobre benefícios para a saúde intestinal em sobras de vinificação

Cientistas da Universidade Cornell encontraram evidências de que o bagaço de uva tinta oferece benefícios nutricionais


Estudo descobre benefícios para a saúde intestinal em sobras de vinificação

Acredita-se que substâncias presentes no bagaço reduzam o risco de doenças cardiovasculares e diabetes

Cientistas da Universidade Cornell encontraram evidências de que o bagaço de uva tinta oferece benefícios nutricionais. Eles esperam que, ao usar compostos polifenólicos do bagaço, possam reduzir o desperdício e melhorar a saúde intestinal e cardíaca das pessoas. 

» Britney Spears desfruta de seu primeiro vinho em mais uma década

Este subproduto da fabricação de vinho tem um potencial importante. Se pudermos usar o bagaço para extrair compostos essenciais ou usá-los como ingrediente dietético para se transformar em alimentos, então o bagaço de uva pode ser uma fonte muito sustentável de compostos nutricionais com benefícios comprovados para a saúde”, disse EladTakoautor principal da pesquisa.

Para o estudo, publicado na revista Nutrientsobtiveram-se uvas dos vinhedos da universidade em toda a região de FingerLakes. A equipe analisou especificamente dois estilbenosresveratrol e pterostilbeno que são compostos encontrados nas plantas. Como uma subclasse de polifenóis, esses dois estilbenossão encontrados principalmente em uvas e acredita-se que reduzam o risco de doenças cardiovasculares e diabetes. Mas pouco se sabe sobre como o corpo metaboliza esses compostos.

Depois de coletar amostras de bagaço de Cabernet Franc, Concord e Noiret, o grupo de pesquisa extraiu os dois estilbenos e os injetou em ovos de galinha. “Há uma semelhança considerável no nível do filo entre a microbiota intestinal de frango e humanaDevido à sua rápida maturação, o modelo de frango tem sido utilizado como modelo de nutrição humana”, disse o pesquisador.

Estudando esses embriões e outros embriões de controle, o grupo aprendeu como o resveratrol e o pterostilbeno afetam o trato gastrointestinal, assim como outros sistemas e tecidos fisiológicos. A equipe descobriu que os embriões que consumiram os extratos de estilbeno aumentaram a funcionalidade intestinal e a capacidade de absorver micronutrientes. Com o aumento da saúde intestinal, os pesquisadores veem isso como um avanço promissor no uso de estilbenos para tratar uma série de doenças.

“Nossa pesquisa é significativa, pois apresenta a ideia de usar bagaço de uva como uma fonte sustentável de estilbenos que podem ser usados como ingredientes dietéticos. Além disso, usar bagaço como fonte sustentável de estilbenos é uma das maneiras de lidar com doenças como diabetes”, apontou Tako.

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui

Redação
Publicado em 07/02/2022, às 19h00


Mais Mundovino