Estado de catástrofe

Fogo destrói vinhas centenárias no Chile

Ainda sem controle, o incêndio se alastra por florestas e lavouras; já é o pior da história do país


 
Desde a última semana, incêndios consumiram cerca de 365 hectares de florestas e lavouras no Chile. A presidente Michelle Bachelet declarou estado de catástrofe e reconheceu este episódio de 2017 como o mais grave incêndio florestal da história do pais.
 
Na manhã desta segunda-feira, a Corporação Nacional Florestal (CONAF) relatou que 11 focos foram extintos, 58 estão ainda em combate e 55 foram controlados. Além disso, até agora, a associação Vinos de Chile constatou que já são mais de 100 hectares de vinhas carbonizadas, e um número ainda não contabilizado de danos causados pelas cinzas e pela fumaça.
 
Peru, México e Espanha já encaminharam auxílio para o combate aos incêndios, que ainda ameaçam 450 mil hectares de terras agrícolas no pais. Os dados levantados pela Associação Vinos de Chile, em um recorte por região, são alarmantes:

  • Casablanca: permanece em alerta em função dos incêndios em Curacaví, mas ainda sem registros de vinhas danificadas.
  • Maipo: já são 10 hectares de vinhedos queimados na área de Pirque.
  • Cachapoal: sem incidentes até o momento.
  • Colchagua: as áreas mais afetadas são Peralillo e Marchige, com aproximadamente 7 hectares de danos.
  • Curicó: sem incidentes até o momento.
  • Maule: esta é a região mais prejudicada, são mais de 75 hectares de vinhedos destruídos, incluindo vinhas centenárias. Os trabalhos de contenção ainda estão em andamento.
  • Itata e Biobío: aparentemente há indícios de novos focos que poderão afetar pequenos produtores, mas ainda sem informações oficiais.

Veja abaixo imagens dos incêndios produzidas pela Nasa. 

Por Maria Bolognese

Publicado em 30 de Janeiro de 2017 às 12:32


Notícias Chile incendia vinhas velhas maipo maule curico itata biobio colchagua casablanga